Menu

Revelando o mistério: A trindade não existe

O que é a Trindade?

Quando falamos do Pai, do Filho e do Espírito Santo, muitos irmãos e irmãs dizem que são as três pessoas de Deus. Sobre esse relacionamento, Eles são a Trindade de um Deus, ou são três pessoas de Deus? Você pode dizer que Eles são três pessoas, mas existe apenas um verdadeiro Deus. Você pode dizer que Eles são um só Deus, mas há um registro na Bíblia de que existe o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Então, o que isso significa? Sejam estudiosos bíblicos ou pregadores, ninguém pode explicar de maneira clara o significado da Trindade. Isso se tornou um enigma insolúvel para muitos cristãos.

Para conseguir algum esclarecimento sobre essa questão, precisamos primeiro saber como o termo Trindade surgiu. Sabemos que o termo nunca apareceu na Bíblia e que foi criado na terra depois que o Senhor Jesus se tornou carne. Então, os termos o Pai e o Filho surgiram, e as pessoas da época passaram a acreditar que, além do Senhor Jesus, havia também Deus, o Pai, no céu. Depois que o Senhor Jesus ressuscitou e voltou para o céu, as pessoas extrapolaram o que estava escrito em diversos lugares nas Escrituras, dizendo que havia uma Trindade, e também havia algumas pessoas que suspeitavam disso. Alguns acreditavam que Deus é o único e verdadeiro Deus, enquanto alguns acreditavam que Ele é o Deus da Trindade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Com base no que está escrito, mais de trezentos anos depois do Senhor, no Primeiro Concílio de Nicéia, houve um debate sobre a unicidade de Deus versus a multiplicidade de Deus, e no final eles vieram com o termo Deus da Trindade. Este termo continua desde aquele dia. Neste ponto de nossa comunhão, precisamos entender que o termo Trindade originalmente não existia para Deus, mas foi algo que os seres humanos extrapolaram com base na ideia do Pai e do Filho e outras coisas escritas na Bíblia.

Como a Trindade foi algo inferido por seres humanos, ela está correta? Vejamos o que o Senhor Jesus disse no capítulo 14, versículos 8-10 no Evangelho de João: “Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras.” Podemos ver na escritura que Filipe não conhecia a Deus e acreditava que o Senhor Jesus também tinha Deus o Pai no céu, e, por isso, ele disse: “Senhor, mostra-nos o Pai.” E quando o Senhor Jesus corrigiu seu erro, Ele disse: “Quem Me viu a Mim, viu o Pai;” e “Eu estou no Pai, e que o Pai está em Mim?” Podemos ver na resposta do Senhor Jesus que o Pai é o Filho e o Filho é o Pai. Pai e Filho sempre foram um – apenas um Deus. Se formos de acordo com nossos próprios pensamentos e crermos que o Senhor Jesus também tinha Deus, o Pai, no céu, não estaremos cometendo o mesmo erro que Felipe? Assim, não podemos acreditar que Deus é o Deus da Trindade por causa dos termos o Pai e o Filho.

Sendo que o Pai e o Filho eram originalmente um, por que o Senhor Jesus chamou Deus no céu de Pai quando Ele orou? Eu li a explicação desta questão em um livro: “Vocês ainda lembram da Oração do Senhor que Jesus lhes ensinou a memorizar? ‘Pai nosso que estás no céu…’ Ele pediu a todo homem que chamasse Deus no céu pelo nome de Pai. E desde que Ele também O chamou de Pai, o fez da perspectiva de alguém que está em pé de igualdade com todos vocês. Desde que vocês chamaram Deus no céu pelo nome de Pai, isso mostra que Jesus viu a Si mesmo em pé de igualdade com vocês, e como um homem na terra escolhido por Deus (isto é, o Filho de Deus). Se vocês chamam Deus de Pai, isso não é porque vocês são seres criados? Por maior que fosse a autoridade de Jesus na terra, antes da crucificação, Ele era apenas um Filho do homem, governado pelo Espírito Santo (isto é, Deus), e um dos seres criados da terra, porque Ele ainda tinha que completar Sua obra. Portanto, Ele chamar Deus no céu de Pai era unicamente Sua humildade e obediência. O dirigir-Se a Deus (isto é, o Espírito no céu) de tal maneira, no entanto, não prova que Ele era o Filho do Espírito de Deus no céu. Pelo contrário, era simplesmente que a perspectiva Dele era diferente, não que Ele tivesse sido uma pessoa diferente. A existência de pessoas distintas é uma falácia!Antes da crucificação, Jesus era um Filho do homem, sujeito às limitações da carne, e não possuía plenamente a autoridade do Espírito. É por isso que Ele só podia buscar a vontade de Deus, o Pai, da perspectiva de um ser criado. É como Ele orou três vezes no Getsêmani: ‘Não como Eu quero, mas como Tu queres’. Antes de ser colocado na cruz, Ele era apenas o Rei dos Judeus; Ele era Cristo, o Filho do homem, e não um corpo de glória. É por isso que, do ponto de vista de um ser criado, Ele chamou Deus de Pai. Agora, você não pode dizer que todos os que chamam Deus de Pai são o Filho. Se fosse assim, todos vocês não teriam se tornado o Filho, uma vez que Jesus lhes ensinou a Oração do Senhor? Se ainda não estiverem convencidos, digam-Me, quem é Aquele que vocês chamam de Pai? Se vocês estão se referindo a Jesus, quem é o Pai de Jesus para vocês? Depois que Jesus foi embora, essa ideia do Pai e do Filho deixou de existir. Essa ideia só foi apropriada para os anos em que Jesus Se tornou carne; sob todas as outras circunstâncias, o relacionamento é entre o Senhor da criação e um ser criado, quando vocês chamam Deus de Pai. Não há ocasião em que essa ideia da Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo subsista; é uma falácia raramente vista através das eras e não existe!” Podemos ver a partir disso que o Senhor Jesus é o próprio Deus encarnado, que Ele é o Espírito de Deus feito carne, o Filho do homem e Cristo. Quando o Senhor Jesus orou a Deus no céu como o Pai, Ele estava fazendo isso do ponto de vista da criação, incorporando assim a obediência e humildade do Senhor Jesus Cristo. Isso não prova que o Senhor Jesus era o Filho do Espírito de Deus no céu. O Senhor Jesus chamando Deus no céu de Pai estava restrito apenas ao tempo de Sua obra enquanto encarnado, e depois que a obra do Senhor Jesus terminou, os termos Pai e Filho não eram mais necessários.

Eu li algumas outras coisas sobre isso: “Há somente um Deus, somente uma pessoa nesse Deus, e somente um Espírito de Deus, tanto quanto está escrito na Bíblia que ‘existe somente um Espírito Santo e um só Deus’. Independentemente de se o Pai e o Filho de que você fala existem, há um só Deus no final das contas, e a substância do Pai, do Filho e do Espírito Santo em que você crê é a substância do Espírito Santo. Em outras palavras, Deus é um Espírito, mas Ele consegue Se tornar carne e viver entre os homens, assim como estar acima de todas as coisas. Seu Espírito é todo-inclusivo e onipresente. Ele pode estar simultaneamente na carne e dentro e acima do universo. Já que todas as pessoas dizem que Deus é o único Deus verdadeiro, então há um único Deus, que não é divisível arbitrariamente por ninguém! Deus é um só Espírito e somente uma pessoa; e esse é o Espírito de Deus.” “Desde o tempo da criação até agora, essa obra foi realizada pelo Espírito do Próprio Deus. Seja a obra nos céus ou na carne, tudo é realizado pelo Seu próprio Espírito. Todas as criaturas, no céu ou na terra, estão na palma de Sua mão todo-poderosa; tudo isso é obra do Próprio Deus e não pode ser feita por nenhum outro em Seu lugar. Nos céus, Ele é o Espírito, mas também o Próprio Deus; entre os homens, Ele é carne, mas permanece o Próprio Deus. Embora Ele possa ser chamado por centenas de milhares de nomes, Ele ainda é Ele Mesmo, e toda a obra é a expressão direta de Seu Espírito. A redenção de toda a humanidade por meio de Sua crucificação foi a obra direta de Seu Espírito, e assim também é a proclamação para todas as nações e todas as terras durante os últimos dias. Em todos os momentos, Deus só pode ser chamado o todo-poderoso e o único Deus verdadeiro, o Próprio Deus todo-inclusivo. As pessoas distintas não existem, muito menos essa ideia do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Existe apenas um Deus no Céu e na terra!” (“A Trindade existe?”).

Por meio dessas palavras podemos ver que há apenas um Deus e somente um Espírito de Deus. Ele é o único Deus verdadeiro e não é dividido entre pessoas diferentes. Seja a obra de Deus no Espírito ou encarnada, do começo ao fim, é, e sempre foi, um Espírito realizando a obra. É tudo obra do Espírito Santo. Assim, tanto a obra do Senhor Jesus antes de Sua crucificação, como após a Sua ressurreição, foi uma expressão do Espírito Santo. Não importa em que estágio da obra esteja, é obra do Próprio Deus. Em suma, existe apenas um Deus no céu e na terra. Não importa quando, Deus é o único e verdadeiro Deus. Podemos ver a partir disso que a Trindade é um termo que veio de ideias humanas e não se alinha com as palavras do Senhor. Agora sabemos que a Trindade é um termo que não faz sentido.

Por Chen Siyuan

Você pode gostar também

– O que é ser o Cristo?

– Como entender corretamente a Trindade?

– Dando as boas-vindas ao Senhor: o mistério da Trindade, finalmente revelado

– Por que existem tantas denominações no cristianismo?

Contate-nos

Esperas ansiosamente pela aparição do Senhor? Como o Senhor aparecerá? Como devemos acolher a Sua aparição? Convidamos-lhe sinceramente a juntar-se a nós na nossa reunião online para conversar sobre esse tópico connosco.