Siga-nos

Eu encontrei o caminho de ser purificado do pecado

Como cristão que crê no Senhor há anos, muitas vezes ouvi pastores dizerem em seus sermões: “Crentes, como nós, foram redimidos de nossos pecados e estão absolvidos. Quando o Senhor voltar Ele nos arrebatará diretamente para o reino dos céus.” Mas enquanto eu esperava pelo Senhor Jesus voltar e nos levar ao reino dos céus, algo aconteceu que foi bastante doloroso e confuso para mim.

Depois que me tornei crente, apesar de ler as Escrituras com frequência, orar e participar de reuniões, eu vivia o dilema de ser incapaz de seguir os ensinamentos de Deus em minha vida diária. Eu bem sabia que o Senhor nos instruiu a amar o nosso próximo como a nós mesmos e a perdoar os outros setenta vezes sete, mas toda vez que meu marido não me dava ouvidos ou alguém ao meu redor fazia algo que eu não gostava, eu acabava ficando brava. Mesmo me sentindo culpada e com remorso, orando a Deus com frequência e me confessando, sempre que encontrava outra situação eu ainda não conseguia me controlar. Além disso, não pude superar as tentações de me envolver, atraída pelas tendências do mundo – sempre busquei tais tendências. Eu estava apaixonada por roupas bonitas e maquiagem e estava sempre pensando em comprar coisas e ver as vitrines. Meu coração foi completamente dominado por prazeres materiais e gastava mais tempo com esse tipo de coisa do que exercendo minhas devoções ou lendo as Escrituras. Depois de um tempo, cheguei ao ponto de querer ler a Bíblia cada vez menos e também não queria ir aos cultos da igreja. Eu sabia que o Senhor não gosta desse tipo de comportamento, então, em um esforço para não continuar nessa senda da depravação, eu me forcei a ler a Bíblia e buscar sermões na internet. Mas, mesmo seguindo meu plano, eu não sentia prazer, e minha vida se distanciava das palavras do Senhor. Também falei com meus amigos da igreja sobre isso, mas todos disseram que, se eu orasse mais, Deus mostraria misericórdia e amor para comigo, me desculparia e perdoaria meus pecados. Eu não senti nenhum alívio com suas respostas, porque está muito claro na Bíblia: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14). “Porque se voluntariamente continuarmos no pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta mais sacrifício pelos pecados” (Hebreus 10:26). Se o Senhor nos perdoasse sem limites como todos diziam, e nossos pecados fossem perdoados pela oração, então por que a Bíblia diz que se pecarmos por vontade própria depois de obtermos o conhecimento da verdade, não haveria mais sacrifícios pelos pecados? Sem sacrifício, como poderíamos entrar no reino dos céus? Eu não conseguia acabar com essas dúvidas em meu coração. Isso me deixou muito angustiado, assim, orei ao Senhor: “Ó, Senhor, eu vivo em constante estado de pecar e confessar tais pecados. Isso me deixa perturbada. O que posso fazer para escapar das amarras do pecado? Onde posso encontrar a resposta? Senhor, por favor, me diga qual é a Tua vontade com relação a isso! Amém.”

Como ficar livre do pecado

Então, em janeiro de 2018, conheci algumas irmãs da China na internet e conversando com elas, descobri que eram cristãs muito devotas. Nós debatemos sobre todas as coisas relacionadas à fé e depois de um período de interação, comecei a me sentir muito próxima delas, pensando que poderíamos realmente abrir nossos corações uns para os outros. Elas levavam vidas muito devotas e tinham uma compreensão e uma visão únicas da Bíblia. A comunhão delas era mesmo esclarecedora e agradável. Eu gostava muito de investigar as Escrituras com elas.

Certa vez, a irmã Susan me disse com muita seriedade: “O Senhor já voltou e está realizando dos últimos dias de julgar, limpar e salvar a humanidade”.

Chocada, eu disse: “O Senhor Jesus já foi crucificado e nos redimiu de nossos pecados, completando Sua obra. Quando o Senhor retornasse, Ele não deveria nos levar diretamente para o reino dos céus? Por que Ele faria também a obra de julgamento? Será que a obra dele não foi concluída?”

Em resposta, a Irmã Lucy compartilhou comigo está comunhão: “É, com certeza, verdade que a obra do Senhor Jesus de ser pregado na cruz foi concluída e que fomos redimidos dos nossos pecados, que fomos absolvidos. No entanto, a redenção significa que podemos entrar no reino dos céus? Vamos ler uma passagem das palavras de Deus, assim entenderemos. ‘O homem foi […] e teve seus pecados perdoados, mas quanto a como exatamente o homem seria purificado dos caracteres satânicos corruptos dentro dele, essa obra ainda estava por ser feita. O homem foi apenas salvo e teve seus pecados perdoados por sua fé, mas a natureza pecaminosa do homem não foi extirpada e ainda permaneceu dentro dele. Os pecados do homem foram perdoados por meio da agência do Deus encarnado, mas isso não significou que o homem não tivesse mais pecado dentro de si. Os pecados do homem podiam ser perdoados através da oferta pelo pecado, mas quanto a como exatamente se pode fazer o homem não pecar mais, e como sua natureza pecaminosa pode ser extirpada completamente e transformada, ele não tem como resolver esse problema. Os pecados do homem foram perdoados, e isso foi por causa da obra da crucificação de Deus, mas o homem continuou a viver no seu caráter satânico corrupto antigo. Sendo assim, o homem deve ser completamente salvo de seu caráter satânico corrupto para que a natureza pecaminosa do homem seja completamente extirpada para nunca mais se desenvolver, permitindo, assim, que o caráter do homem seja transformado. Isso requer que o homem entenda a senda do crescimento na vida, entenda o caminho da vida e entenda o caminho para mudar seu caráter. Além disso, requer que o homem aja de acordo com essa senda, para que o caráter do homem possa ser mudado paulatinamente e que ele possa viver sob o brilho da luz, para que tudo o que ele faça esteja de acordo com a vontade de Deus, para que ele possa eliminar o seu caráter satânico corrupto e para que possa libertar-se da influência das trevas de Satanás, emergindo, assim, completamente do pecado. Só então o homem receberá a salvação completa.

Depois de ler estas palavras de Deus, a irmã Susan comungou: “Podemos ver, pelas palavras de Deus, que o Senhor Jesus realizou a obra da redenção. Ele nos absolveu de nossos pecados, salvando-nos. Ser salvo refere-se apenas a não ser mais condenado por não seguir a lei e aceitar a graça da salvação do Senhor. Refere-se a tornar-se qualificado para se colocar diante Senhor, orar a Ele, confessar e arrepender-se e desfrutar da graça e das bênçãos que o Senhor concede a nós. Contudo, nossas naturezas pecaminosas não foram retiradas. Ainda vivemos em um ciclo de pecar e depois confessar. Por exemplo, em nossas interações com os outros em nossas vidas diárias, muitas vezes revelamos um caráter arrogante e sempre queremos que as outras pessoas nos ouçam e se submetam a nós. Mesmo que acreditemos no Senhor, Ele não tem um lugar real em nossos corações. Como sempre, cobiçamos as coisas do mundo e perseguimos as tendências seculares. Algumas pessoas até abandonam a Deus por completo em sua busca pela glória, riquezas mundanas e prazeres da carne. Como pessoas como nós, vivendo em pecado, podem ser dignas de entrar no reino de Deus? O Senhor Jesus disse: ‘Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. Ora, o escravo não fica para sempre na casa; o filho fica para sempre’ (João 8:34–35). As palavras do Senhor foram muito claras. Nenhum servo do pecado pode estar no reino de Deus, então, como ainda pecamos com frequência, não estamos qualificados para entrar no reino. É por isso que ainda precisamos de outro estágio da obra de salvação de Deus, para que possamos ser purificados de nossos pecados e nos tornar compatíveis com Deus. Caso contrário, não podemos obter a aprovação de Deus para entrar no reino dos céus.”

Cada palavra das palavras de Deus e a comunhão desta irmã ressoaram profundamente em mim. Assim, a obra do Senhor Jesus foi, na verdade, apenas a obra da redenção, pois o Senhor nos absolveu do pecado. Foi a misericórdia do Senhor para nós, para que não fôssemos mais vistos como pecadores. Mas isso não significava que estávamos sem pecado, sem mácula. Nós ainda pecamos com frequência, contra nossa vontade, e tudo isso acontece porque ainda possuímos naturezas pecaminosas. Pensei em como eu interagia com meu marido – queria que ele me ouvisse em tudo, e se ele o fizesse, eu perdia a paciência. Eu também segui as tendências seculares e meu coração estava ocupado por coisas materiais. Eu não conseguia participar de reuniões ou ler as Escrituras. Mesmo que eu orasse e confessasse ao Senhor muitas vezes, ainda continuava a pecar sem parar. Tudo isso porque eu estava sob o controle da minha natureza satânica. Não é de admirar que Paulo tenha dito isto: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está” (Romanos 7:18). Nossas naturezas pecaminosas ainda estão profundamente enraizadas dentro de nós, e mesmo se quisermos praticar a verdade e satisfazer a Deus, nós simplesmente não podemos evitar pecar e resistir a Deus. Estamos cheios de imundície e somos indignos de entrar no reino de Deus. Quando percebi isso, logo perguntei: “Você está dizendo que o Senhor Jesus realizou a obra da redenção, que quando o Senhor vier nos últimos dias, Ele realizará uma obra para nos livrar dos nossos pecados. Então, como Ele fará esta obra?”

A irmã Susan sorriu e disse: “Irmã, você acabou de fazer uma pergunta muito importante. De fato, há profecias sobre isso na Bíblia, tais como: ‘E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não as guardar, eu não o julgo; pois eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem me rejeita, e não recebe as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia’ (João 12: 47–48). ‘Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e se começa por nós, qual será o fim daqueles que desobedecem ao evangelho de Deus?’ (1 Pedro 4:17). Podemos ver nesses versículos da Bíblia que nos últimos dias, quando vier, o Senhor expressará todas as verdades de que precisamos para que possamos entender e entrar na verdade – isso é uma continuação da obra redentora do Senhor Jesus, a etapa da obra de julgamento começando com a casa de Deus a fim de purificar e aperfeiçoar o homem. Isso ficará claro depois de ler estas duas passagens das palavras de Deus Todo-Poderoso. As palavras de Deus dizem: ‘A obra realizada por Deus durante esta era é principalmente a provisão das palavras para a vida do homem; a exposição do caráter corrupto do homem e da substância da natureza do homem; e a eliminação de noções religiosas, do pensamento feudal, do pensamento antiquado e do conhecimento e da cultura do homem. Todas essas coisas devem ser purificadas por meio da exposição através das palavras de Deus.’ ‘Nos últimos dias, Cristo usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a essência do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à essência do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não torna clara a natureza do homem simplesmente com algumas palavras; Ele também expõe, trata e poda a longo prazo. Esses métodos de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo podem ser chamados de julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido a se submeter a Deus e, além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus. O que a obra de julgamento produz é o entendimento do homem da verdadeira face de Deus e da verdade sobre a própria rebelião. A obra de julgamento permite que o homem ganhe bastante entendimento da vontade de Deus, do propósito da obra de Deus e dos mistérios que lhe são incompreensíveis. Também permite que o homem reconheça e conheça sua substância corrupta e as raízes de sua corrupção, bem como descubra a fealdade do homem. Esses efeitos são todos produzidos pela obra de julgamento, pois a substância dessa obra é, de fato, a obra de revelar a verdade, o caminho e a vida de Deus a todos aqueles que têm fé Nele. Essa obra é a obra de julgamento realizada por Deus.’

A irmã Susan continuou comungando: “As palavras de Deus nos mostram que, nos últimos dias, Ele usa palavras para realizar a obra de julgamento. Todas as palavras expressas por Ele contêm o caráter justo de Deus, assim como o que Ele tem e é, os mistérios de Seu plano de administração, além de Seu objetivo e vontade na salvação da humanidade. Além disso, elas expressam a raiz do pecado e da oposição das pessoas a Deus, a verdade da corrupção do homem, bem como o destino final e o fim da humanidade – elas contêm todos esses aspectos da verdade. Estas são todas as palavras que fornecem sustento para nossas vidas. Todos aqueles que se submetem à obra de julgamento e castigo de Deus nos últimos dias experimentam o escrutínio de Deus nos cantos mais profundos de nossos corações. Suas palavras são como uma espada afiada, cortando e revelando nossas naturezas satânicas de traição contra Deus e os motivos desprezíveis abrigados em nossos corações. Elas, inclusive, expõem o pensamento satânico escondido em nossos corações, que os outros não conhecem. Isso nos mostra o quão profundamente fomos corrompidos por Satanás, tanto nas coisas pequenas, como em nosso comportamento e tratamento dos outros em nossas vidas, quanto nas coisas grandes, como nossas perspectivas de fé e o fato de que as sendas que seguimos são totalmente dependentes das filosofias mundanas e das leis de sobrevivência de Satanás. Através de Suas palavras, vemos que estamos cheios de arrogância, desonestidade, engano, cobiça, maldade, egoísmo e desprezo por natureza, e até aqueles de nós que creem em Deus o fazem para obter bênçãos, para serem recompensados. Percebemos que não cremos para buscar a verdade, alcançar a vida, ou viver uma verdadeira semelhança humana, e que somos indignos de viver diante de Deus. Então, começamos a nos arrepender e nos odiar do fundo de nossos corações. Ao mesmo tempo, temos uma experiência muito profunda da autoridade e poder das palavras de Deus, bem como de Seu caráter justo, santo e inviolável. Nós não podemos deixar de nos prostrar diante de Deus, nos arrepender, mudar nossos caminhos, e detestar nossas próprias naturezas satânicas. Assim, ficamos felizes em aceitar o julgamento e o castigo de Deus, colocar a verdade em prática e decidimos nos tornar pessoas novas para satisfazê-Lo.”

A Irmã Lúcia disse com emoção: “É verdade! Nós nunca conheceríamos de verdade nossos próprios caracteres, naturezas e essências corruptas se não fossem as revelações e o julgamento das palavras de Deus. Somos claramente muito corruptos, mas ainda sentimos que somos honrados, e achamos que estamos qualificados para ser arrebatados pelo Senhor para o reino dos céus. Eu costumava sempre pensar em mim como uma pessoa calorosa e gentil. Eu nunca discuti com ninguém. E depois que me tornei crente, fui muito bem comportada e fiz muitas coisas boas, por isso achava que era uma boa pessoa e que, quando o Senhor viesse, eu seria levada para o reino dos céus. Mas depois de aceitar a obra de Deus Todo-Poderoso dos últimos dias, foi somente através das palavras Dele que vi com clareza que eu estava sendo “boa” apenas para aparecer. Eu não era mesmo boa. Minha motivação para fazer essas coisas era ganhar o elogio dos outros, fazer com que as pessoas me admirassem. A maneira como eu me comportava servia para estabelecer uma imagem perfeita aos olhos dos outros. Além disso, eu violava os ensinamentos do Senhor, era rebelde e ofendia a Deus a todo momento. Eu também era arrogante e não estava disposta a ouvir ninguém. Eu mentia e fazia coisas dissimuladas para favorecer meu próprio interesse. Eu me exaltava e dava testemunho de mim mesma o tempo todo, lutando com Deus por uma posição no coração das pessoas. Eu estava trilhando a senda do arcanjo. Quando pensei nisso, senti-me realmente envergonhada e culpada. Eu me detestava, eu me odiava. Nunca mais me gabei da minha bondade, nem me considerei qualificada para entrar no reino dos céus. Em vez disso, dispus-me a aceitar de verdade o julgamento e o castigo das palavras de Deus e rejeitar meu caráter corrupto. Foram as palavras de Deus que me despertaram de minhas noções e imaginações, fizeram-me reconhecer meu verdadeiro estado e pisar na senda da busca da verdade e da mudança de caráter. Tudo isso foi fruto da obra de Deus dos últimos dias.”

Eu fiquei muito comovida com a comunhão das irmãs – ela me mostrou que eu estava me apegando às minhas próprias noções e imaginações e obviamente pecando o tempo todo, mas ainda esperava que o Senhor retornaria e me arrebataria para o reino dos céus. Era uma crença irreal. Agradeço a Deus por me mostrar uma senda prática para o pecado através do testemunho das irmãs sobre a obra de julgamento de Deus e a própria experiência delas. Creio que, se eu aceitar e aceitar a obra de julgamento de Deus, posso ser do pecado e receber a chance de entrar no reino dos céus.

Eu disse com alegria: “Graças ao Senhor! Mesmo que eu ainda não tenha experimentado a obra de julgamento de Deus Todo-Poderoso, posso realmente sentir o amor e a salvação de Deus por nós, através da experiência de vocês. De agora em diante, eu gostaria de me comunicar mais com vocês duas, para que eu possa entender mais sobre a obra de Deus Todo-Poderoso e suas próprias experiências e testemunhos.” Elas ficaram emocionadas ao ouvir isso.

Depois de um período de busca, investigação e reunião com essas irmãs, passei a entender cada vez mais a verdade. Eu determinei, com certeza, que Deus Todo-Poderoso é realmente o Senhor Jesus que retornou, por isso, aceitei com alegria Sua obra dos últimos dias – senti meu coração ficar aquecido. Eu creio que Deus tem sido muito gentil comigo. Além de responder minhas orações, Ele me levou a ouvir Sua voz e me transformou em uma das virgens prudentes. Graças a Deus! Toda a glória seja a Deus Todo-Poderoso. Amém!

Por Ramadi, Filipinas


Veja também:
Profecias Bíblicas
A Volta de Jesus Cristo

Clique para ler mais

Contate-nos

Diante da proibição de reuniões da igreja durante o COVID-19, o que os cristãos devem fazer? Clique para se juntar a nós em nossas reuniões online.

Venha conversar com a gente! Converse conosco no WhatsApp
WhatsApp

Por favor, leia e concorde com a nossa política de privacidade abaixo para começar a conversar com a gente.

Você leu e concordou com a nossa política de privacidade?