Siga-nos

História de Fé: Quando tive um ataque cardíaco, Deus veio ao meu resgate

Meu nome é Ping’an e tenho 65 anos. À meia-noite de 11 de dezembro de 2015, tive um ataque cardíaco de repente. Meu coração começou a bombear muito rápido e, em pouco tempo, fiquei sem fôlego. Após algum tempo, senti como se meu coração parasse de bater por mais de meio minuto. Naquele momento, estava deitada na cama e senti-me anestesiada. Não conseguia sentir o meu corpo de jeito nenhum. Parecia que a morte estava aproximando-se de mim. Meu coração estava cheio de desamparo e desespero, e pensei comigo mesma: “Se continuar assim, tenho medo de morrer antes do amanhecer.”

Atuando nos instintos de sobrevivência, fiz um grande esforço para dar um tapinha na cama, mas não conseguia sentir minhas mãos. Então, tentei acordar meu marido, mas não consegui emitir som algum com a minha garganta. Imediatamente, uma onda de medo tomou conta de mim. Ansiosa e assustada, não consegui parar de chorar. Apenas naquele momento, as palavras de Deus vieram à minha mente: “A maior sabedoria é olhar para Deus e confiar em Deus em todas as coisas.” As palavras de Deus indicaram o caminho da prática para mim: Devo orar a Deus e confiar nEle em todas as coisas que encontro. Deus é onipotente e prático, e eu acreditava que, enquanto orasse e confiasse nEle, Ele me guiaria.

Assim, orei a Deus em silêncio: “Deus, estou tendo um ataque cardíaco. Não consigo mover um músculo ou pronunciar uma palavra. Estou em agonia e quase sufocando. Não sei se viverei a noite toda. Deus, Tu és o Deus todo-poderoso e todas as coisas estão em Tuas mãos. Se vivo ou morro esta noite também é controlado por Ti. Mesmo se morrer esta noite, não reclamarei. Disponho-me a submeter-me à Tua soberania e aos Teus arranjos. Amém!” Após orar, meu coração sentiu-se um pouco melhor. E o que foi maravilhoso foi que consegui soltar um som: Dei um longo suspiro. Depois de alguns minutos, meu marido, de repente, levantou-se e perguntou-me apressadamente: “Você suspirou agora?” Não recebendo resposta, ele correu para o meu lado e encontrou meus olhos abertos. Assim, percebeu que eu estava tendo um ataque cardíaco, então com rapidez sentou-me e deu-me medicação cardíaca. Após uma hora, comecei a melhorar. Soube que Deus ouviu minha oração e que foi Ele quem fez meu marido me dar as pílulas a tempo, caso contrário, meu coração poderia ter parado de bater. Agradeci a Deus por Sua proteção!

História de Fé: Quando a autora teve um ataque cardíaco e estava apreensivo, as palavras de Deus deram fé a ela.

Em seguida, quando meu corpo ficou todo inchado, meu marido levou-me ao hospital municipal para tratamento. Após fazer um exame, o médico me disse: “Sua doença é muito séria. Portanto, você tem que ir para um hospital maior para uma cirurgia ou não terá muito tempo para viver.” Depois de ouvir isso, fiquei profundamente desconfortável e pensei comigo mesma: “Tenho apenas 63 anos. Não quero morrer agora. Talvez deva ir a um hospital maior, mas, se a minha cirurgia falhar, então…” Naquela momento, virei e revirei na cama do hospital, e quanto mais pensava nisso, mais chateada ficava. Senti que não havia mais esperança para mim e não conseguia parar as lágrimas escorrendo pelo meu rosto. Em minha dor, orei a Deus: “Ó Deus! O médico disse que minha doença é grave e preciso ir a um hospital maior para uma cirurgia, mas temo morrer se minha operação falhar. Deus! Te imploro para proteger o meu coração e levar-me a entender a Tua vontade. Amém!” Só então, as palavras de Deus ocorreram-me: “Quando acontece uma doença é devido ao amor de Deus e Suas boas intenções certamente estão por trás disso. Mesmo quando seu corpo passa por sofrimentos, não aceite ideias de Satanás. Louve Deus em meio à enfermidade e desfrute de Deus em meio ao seu louvor. Não desanime diante da enfermidade, continue buscando e nunca desista, e Deus fará brilhar Sua luz em você. Quão fiel foi Jó? Deus Todo-Poderoso é um médico onipotente! Habitar a enfermidade é estar doente, mas habitar o espírito é estar bem. Se você tiver somente um sopro de vida, Deus não o deixará morrer.” “A fé é como uma ponte de um tronco só de árvore, os que se grudam abjetamente à vida terão dificuldade para cruzá-la, mas os que estão prontos a se sacrificar podem atravessá-la sem preocupação. Se o homem tem pensamentos tímidos e temerosos, ele está sendo enganado por Satanás. Ele teme que nós cruzemos a ponte da fé para entrar em Deus. Satanás inventa todos os meios possíveis para nos enviar seus pensamentos, devemos sempre orar para que a luz de Deus brilhe sobre nós e devemos sempre confiar em Deus para nos purificar do veneno de Satanás. Devemos sempre praticar em nossos espíritos para aproximar-nos de Deus. Devemos deixar Deus ter o domínio sobre todo o nosso ser.” Das palavras de Deus, entendi que meu sofrimento, o ataque cardíaco naquele dia, foi permitido por Ele e que Ele quis aperfeiçoar a minha fé através daquilo. Se minha cirurgia seria bem sucedida ou não e se eu viveria ou morreria, estaria tudo nas mãos de Deus. Tudo o que eu precisava fazer era depender Dele, olhar para Ele e comprometer-me em Suas mãos. Entendi também que a minha preocupação e temor do fracasso da operação eram enganos e artimanhas de Satanás. Ele queria fazer-me perder a fé em Deus, permanecer doente e, como resultado, não compreender a Deus e culpá-Lo. Nesta situação, eu deveria confiar em Deus, sempre aproximar-me Dele e atentar-me em viver em Sua presença, para que não caia mais nos truques de Satanás.

Então, pensei em Jó. De repente, ele perdeu ovelhas e gado suficientes para cobrir uma montanha, perdeu todos os seus filhos e estava coberto de feridas da cabeça aos pés, mas quando confrontado com uma provação tão importante, ele obedeceu a Deus sem reclamar e pôde agradecer e louvar a Ele, testemunhar Dele e envergonhar Satanás. Portanto, eventualmente, ele recebeu as bênçãos de Deus. É claro que Jó tinha fé verdadeira em Deus! Por isso, soube que deveria imitar Jó. Não importa o que Deus fez, não devo perder a minha fé Nele, mas devo entregar a minha vida a Ele e submeter-me às Suas orquestrações na vida e na morte. Com isto em mente, muitas vezes cheguei diante de Deus e aproximei-me Dele. Aos poucos, tive fé e coragem para enfrentar a cirurgia que estava por vir.

Em 3 de janeiro de 2016, minha filha e meu marido levaram-me ao Hospital do Primeiro Povo em uma cidade próxima para tratamento. Fui examinada e os resultados revelaram que eu não só tinha um defeito cardíaco congênito (o canal arterial permaneceu aberto), mas também tinha hipertensão arterial pulmonar e que meu peso era de apenas 36 quilos. Então, o médico disse-me: “Embora esta cirurgia minimamente invasiva seja apenas uma operação menor, ainda há alguns riscos envolvidos já que você é idosa e tem uma constituição fraca. Além disso, se algo inesperado aparecer durante a operação, você precisará ser transferida de uma vez para o departamento de cirurgia mais complexas. E não ousamos garantir que nada de inconveniente aconteça durante este processo, então você deve preparar-se para o pior. Discuta com sua família, se concordarem em fazer a operação, assine o seu nome no formulário de consentimento da cirurgia.” Ao ouvir estas palavras, meu coração ficou cheio de apreensão e fiquei extremamente angustiada e triste. Pensei: “Se eu não fizer a operação, posso viver por pelo menos mais seis meses a um ano, mas se eu assinar o meu nome e fizer a operação e for um fracasso, então eu vou… O que devo fazer?” Enquanto pensava nisto, lágrimas acumularam em meus olhos. Naquele momento, de repente, percebi que estava novamente vivendo em um estado errado, por isso orei com pressa a Deus. Depois de orar, pensei nestas palavras de Deus: “Deus Todo-Poderoso é um médico onipotente! Habitar a enfermidade é estar doente, mas habitar o espírito é estar bem. Se você tiver somente um sopro de vida, Deus não o deixará morrer.” As palavras de Deus deram-me confiança e coragem mais uma vez e não sentia mais tanto temor. De repente, lembrei da noite em que tive o ataque cardíaco. Naquela noite, tinha apenas um suspiro ainda, Deus não me deixou morrer. Ele está sempre ao meu lado, cuidando e protegendo-me e além disso, tenho visto Seu grande poder e autoridade, então o que tenho a temer? Ponderando sobre o amor de Deus, senti-me muito mais firme em meu coração. Portanto, decidi confiar-me a Deus e colocar-me à disposição de seus arranjos. Então, assinei meu nome no formulário de consentimento.

Na tarde de 6 de janeiro, quando deveria realizar a cirurgia, fiz uma oração submissa a Deus: “Ó Deus! Farei a cirurgia daqui a pouco e confio a minha vida a Ti. Não importa qual seja o resultado, disponho-me a Te obedecer e a submeter-me às Tuas orquestrações e arranjos. Deus! Enquanto eu tiver fôlego, nunca Te deixarei, Te seguirei e Te adoro.” Depois que orei assim, senti paz em meu coração e pude enfrentar com calma aquela cirurgia. Quando a operação estava prestes a ser realizada, ouvi vagamente um médico dizer ao cirurgião-chefe: “Devido à condição da paciente, a cirurgia será difícil. Temo não fazê-la bem, então é melhor você fazer.” Quando ouvi isto, fiquei com um pouco de medo de novo, mas percebi, de imediato, que isto era uma pertubação de Satanás. Por isso, orei a Deus e pedi que protegesse o meu coração para que eu pudesse viver diante dEle e confiar-me a Ele em vez de prender-me à minha doença. Assim, dependi de Deus durante toda a operação. Depois disso, ouvi o cirurgião-chefe dizer com alegria: “A cirurgia foi bem-sucedida.” Naquele exato momento, lágrimas molharam os meus olhos. Estava muito agradecida pela salvação de Deus que permitiu-me, originalmente uma pessoa que estava morrendo, recuperar a minha vida. Após a operação, apesar de ter uma constituição fraca, melhorei com brevidade e até ganhei 10 quilos.

Agradeço a Deus por sua salvação! Através desta experiência, adquiri algum conhecimento e entendimento verdadeiro da autoridade das palavras de Deus e a minha fé Nele também cresceu. Além disso, também vi Seus feitos maravilhosos. Quando tive um ataque cardíaco e assim vivi com medo, foi Deus quem usou as Suas palavras para guiar-me e conduzir-me, deixando-me conhecer a Sua intenção para que me tornasse forte e livre em meu espírito, e dispusesse-me a depender Dele, experimentando a doença. Quando confiei a minha vida a Deus, vi Sua misericórdia por mim: a cirurgia foi bem-sucedida e também recuperei-me com muita brevidade. Agradeci a Deus por todas estas coisas que Ele fez comigo, o que fez-me sentir que tudo que Ele faz é salvação e amor pela humanidade. Meu único desejo é buscar com sinceridade a verdade de agora em diante, praticá-la e fazer o melhor que puder para cumprir meu dever retribuindo o amor de Deus por mim.

Por Ping’an


Você pode gostar também
História de Fé: Oração para uma criança doente: ela retornou da beira da mortes 20 dias depois
História de Fé: como ela se recuperou de um linfoma

Clique para ler mais

Contate-nos

Diante da proibição de reuniões da igreja durante o COVID-19, o que os cristãos devem fazer? Clique para se juntar a nós em nossas reuniões online.

Venha conversar com a gente! Converse conosco no WhatsApp
WhatsApp

Por favor, leia e concorde com a nossa política de privacidade abaixo para começar a conversar com a gente.

Você leu e concordou com a nossa política de privacidade?