Menu

Depois de sobreviver a um acidente sério, eu entendi o amor de Deus

Depois de sobreviver a um acidente sério, eu entendi o amor de Deus

De repente, quase me tornei um vegetal

Certa manhã, por volta das oito horas, minha esposa e eu levamos nossa neta de sete anos para ajudar a coletar lenha e levá-la para casa em nosso carrinho de mão. Nós enchemos o carrinho com madeira que tinha alguns centímetros de espessura e, em seguida, por volta das dez, minha esposa e eu estávamos puxando-o de volta quando chegamos a um declive, onde começamos a segurar o carrinho para que ele continuasse a mover devagar. Mas a estrada era muito íngreme e o carrinho começou a ganhar velocidade, descendo; minha esposa e eu estávamos tentando pará-lo com toda a nossa força. Eu estava com tanto medo que parecia que meu coração estava prestes a pular para fora do meu peito. Pensei em nossa neta que ainda estava no carrinho, esperando com todas as minhas forças que o carrinho não tombasse! Se ele continuasse correndo e virasse, todos nós estaríamos acabados. O carrinho estava indo rápido demais e minha esposa não conseguia correr na mesma velocidade. Ela perdeu o controle e teve que sair do caminho. Eu fiquei preso entre os punhos do carrinho e não consegui me soltar. Fui jogado para baixo, fiquei pressionado embaixo do carrinho e estava sendo arrastado junto com ele. Minha esposa estava logo atrás perseguindo o carrinho enquanto gritava: “Deus, salve meu marido e minha neta.” Eu fui arrastado por cerca de 20 metros antes que o carrinho virasse subitamente em uma pilha de lenha ao lado da estrada. Minha neta foi jogada ao lado da pilha, o que, felizmente, a impediu de cair em uma vala de água logo abaixo. Ela teve apenas um arranhão ao lado da boca, que sangrou um pouco. Eu, no entanto, fui arrastado para debaixo do carrinho e esmagado com força. Eu estava encolhido com a cabeça no meio das pernas, sofrendo muito. Eu queria levantar a cabeça, mas não conseguia mexer o pescoço, e minhas costas estavam imobilizadas por completo. Eu estava com uma dor insuportável e não conseguia me mexer.

Minha esposa correu para verificar a nossa neta e ouviu-a chorar e dizer: “Vovó, eu estou bem, por favor, vá ver o vovô.” Eu disse com debilidade: “Parece que todos os ossos do meu corpo estão quebrados. Eu realmente não estou me sentindo bem - tente mover minha cabeça.” Vendo que eu ainda podia falar, minha esposa chorava enquanto endireitava a minha cabeça. Nossa neta também correu chorando enquanto gritava por mim, mas eu estava muito fraco e com dor para responder. Eu estava com dificuldades para respirar. Orei a Deus em meu coração: “Ó, Deus, estou com uma dor incrível agora e não vou aguentar muito mais. Eu não sei o quanto ainda vou durar. Eu vou morrer?” Então, pensei nessas palavras de Deus: “Deus Todo-Poderoso, o Cabeça de todas as coisas, exerce Seu poder real do Seu trono. Ele governa o universo e todas as coisas, e Ele está no ato de nos guiar por toda a terra. A cada momento, devemos estar próximos Dele […] Enquanto você ainda tiver um sopro de vida, Deus não o deixará morrer.” As palavras de Deus me deram fé e força. Todo o universo e todas as coisas estão ao alcance de Deus, assim, não estaria minha vida também nas mãos de Dele? Eu podia, então, confiar em Deus e cultivar a esperança dentro do meu coração. Fui levado para o hospital depois disso, e meu filho e sua esposa foram até lá. O médico disse aos meus familiares: “O paciente está gravemente ferido. Existem mais de 20 fraturas nas costelas, na coluna cervical e na lombar. Ele ficará paralítico ou se tornará um vegetal. O risco de morte não está descartado. Vocês devem se preparar.”

Naquela noite, minha esposa me contou o que o médico havia dito. Fiquei muito preocupado e pensei: “Se eu ficar paralisado ou me tornar um vegetal, minha vida não apenas sofrimento? A vida ainda teria algum significado?” Eu não pude deixar de chorar quando pensei nisso. Naquele momento, sentindo o desespero em meu coração aliado à dor em meu corpo, pensei que seria melhor morrer - meu sofrimento chegou a um ponto crítico. Então eu orei a Deus: “Deus, estou com muitas dores neste momento. As palavras do médico me deixaram com muito medo. Deus, por favor, me guie para ter fé e coragem para enfrentar tudo isso.” Naquela noite, meu sofrimento pairou sobre mim como uma nuvem escura, e eu não consegui dormir. Então, tarde da noite, pensei nessas palavras de Deus: “De tudo o que ocorre no universo, não há nada no qual Eu não tenha a palavra final. Existe alguma coisa que não esteja em Minhas mãos?” “Quem dentre toda a humanidade não é cuidado aos olhos do Todo-Poderoso? Quem não vive em meio à predestinação do Todo-Poderoso? A vida e a morte do homem acontecem por escolha própria? O homem controla o seu próprio destino?” Estas palavras de Deus revelam um mistério. Todo o universo e todas as coisas estão sob o domínio de Deus e nossas vidas estão nas mãos Dele. Minha paralisia e minha vida vegetativa, minha vida e minha morte, tudo é administrado por Ele. As palavras de Deus me deram fé e força e aliviaram meu coração.

Enquanto dormia na cama do hospital, meu corpo estava totalmente envolto em ataduras e eu tomava soro na veia. Eu não conseguia me mexer. Minha esposa estava ao lado da cama cuidando de mim dia e noite, me dando remédios e me alimentando. Quando viu que eu estava tendo dificuldades, ela me fez orar a Deus e confiar nele. Eu orava sem parar. Um dia pensei nas provações que Jó passou. Ele perdeu seus filhos e suas cabeças de gado, e seu corpo ficou coberto de feridas. Ele se sentou sobre cinzas pra raspar suas feridas com pedaços de cerâmica. Mesmo quando sofreu golpes físicos e psicológicos, ele não perdeu a fé ou rejeitou a Deus. Seu testemunho foi retumbante. Como a palavra de Deus afirma: “A preciosidade de Jó estava em como, quando ele foi tentado, e mesmo quando todo o seu corpo estava coberto de tumores malignos, quando ele suportou o maior tormento […] Para dizer de outra maneira, em seu coração ele acreditava que, não importando as tentações, ou por mais dolorosos que as tribulações ou tormentos fossem, mesmo que a morte viesse sobre ele, ele não renunciaria a Deus ou desprezaria o caminho de temer a Deus e evitar mal. Você vê, então, que Deus ocupou o lugar mais importante em seu coração, e que havia apenas Deus em seu coração.” Então, em silêncio, decidi em meu coração que seguiria o exemplo de Jó. Mesmo que eu sofresse muito com minha saúde no futuro, enquanto ainda tivesse fôlego em meus pulmões, eu confiaria em Deus com minha vida. A partir de então me concentrei em me acalmar diante de Deus e refletir sobre as Suas palavras de Deus todos os dias. Eu orava a Deus com frequência sobre minha condição e a entregava a ele. Eu estava disposto a me apoiar em Deus e me submeter ao Seu governo e arranjos.

Liberado depois de 28 dias por milagre

Depois que confiei tudo a Deus, ocorreu um milagre. Por volta das nove da manhã do oitavo dia após o acidente, alguns médicos e enfermeiros vieram para uma consulta e me perguntaram: “Como você está se sentindo?” Eu disse: “Eu não sinto muita dor e já estou conseguindo comer. Eles acharam muito estranho, por isso, um médico disse: “Senhor, nunca imaginamos que você se recuperaria tão bem. Tivemos pacientes como você antes, nenhum deles sobreviveu, mas sua condição foi melhorando aos poucos. Isto é inacreditável! Com base em sua condição atual, nenhuma das três possibilidades que mencionamos antes (paralisia, vida vegetativa e morte) ocorrerá!” Eu não pude deixar de chorar quando ouvi o médico dizer isso. Senti gratidão, culpa e alegria. Eu orei a Deus do fundo do meu coração: “Deus, eu agradeço a Ti. Foste Tu que cuidaste de mim e me protegeste. Se não fosse por Teus atos maravilhosos, com meus ossos quebrados em 20 lugares e com base no que os médicos disseram, eu estaria paralisado, vegetando, na pior das hipóteses, morto. Mas nada disso aconteceu. Se não fosse pela Tua misericórdia, como eu poderia continuar vivendo? Eu ofereço meus genuínos agradecimentos e louvores a Ti – Tu me deste uma segunda chance na vida. Ó, Deus, eu Te dou graças e Te louvo.”

Depois de orar, pensei nas palavras de Deus: “Quando as águas engolem os humanos por inteiro, Eu os salvo daquelas águas estagnadas e lhes dou uma chance de viver novamente. Quando as pessoas perdem a confiança para viver, Eu as resgato da beira da morte, concedendo-lhes coragem para continuar, para que possam Me usar como uma fundação para a sua existência. […] Tantas vezes as pessoas viram a Minha mão, tantas vezes testemunharam o Meu semblante gentil e Meu rosto sorridente […]. Embora os humanos nunca tenham Me conhecido, não Me apodero de suas fraquezas como oportunidades para ser deliberadamente provocante. Experimentar as dificuldades da humanidade Me capacitou a simpatizar com a fraqueza humana.” A partir dessas palavras, percebi que a essência de Deus é o amor. Quando eu estava sofrendo e fraco, Ele me deu fé e coragem. Foi a mão de Deus que me protegeu maravilhosamente, permitindo-me continuar vivendo. Pensando no momento em que o carrinho virou, se ele tivesse descido até a vala, que tinha cerca de um metro de profundidade, quem sabe o quão ferida teria ficado minha netinha, e isso poderia ter sido o meu fim. No entanto, o carrinho virou sobre uma lenha que um vizinho havia empilhado e, graças a essa pilha de madeira no caminho, minha neta não foi jogada na vala. Além disso, eu não fui arrastado embaixo do carrinho por muito tempo, batendo como uma bola de borracha - caso contrário, eu não sobreviveria. Foi a mão amorosa de Deus que permitiu que nós, minha neta e eu, escapássemos desse encontro com a morte, por isso meu coração estava muito comovido. Eu também senti uma dívida incrível com Deus. Ocorreu-me que nunca levei minha fé a sério, achando que, se eu tivesse Deus em meu coração, isso bastaria. Eu achava que ir a reuniões tirava tempo que poderia dedicar ao trabalho e a ganhar dinheiro, por isso, quase não participava. Irmãos e irmãs comungaram comigo muitas vezes, insistindo para que eu não desse muita importância ao dinheiro, que eu deveria me contentar com comida na mesa e roupas para vestir, focar na fé e buscar a verdade. No entanto, eu não escutava o que eles tinham a dizer. Eu continuava fazendo as coisas do meu jeito e tentando ganhar mais dinheiro. Mas quando eu estava em uma situação crítica, Deus não lidou comigo de acordo com meu comportamento rebelde. Em vez disso, Ele me protegeu e me permitiu evitar o desastre. Eu não poderia agradecer o suficiente pelo amor de Deus por mim. Isso também me fez perceber que, quando confrontado com a calamidade, o dinheiro não pode me salvar - só Deus pode me salvar.

No nono dia após o acidente, o médico removeu todas as minhas ataduras e a dor diminuía a cada dia. Às nove da manhã do vigésimo dia, mais de dez médicos e enfermeiras vieram me ver, e um dos médicos disse: “Você está bem animado e sua aparência também está muito melhor. É realmente um milagre que você tenha conseguido se recuperar com tanta rapidez e que tenha sobrevivido após ferimentos graves. Você pode receber alta a qualquer momento. Volte para casa e recupere-se bem.” No entanto, meus filhos insistiram que eu deveria ficar mais tempo no hospital, por isso, permaneci mais oito dias e, no 28º dia, cuidei dos procedimentos da alta. Pouco tempo depois que voltei para casa, alguns irmãos e irmãs foram me ver. Eles comungaram a verdade comigo e me pediram para ler mais as palavras de Deus, estabelecer um relacionamento adequado com Ele, orar e confiar Nele em todas as coisas, e praticar minha fé de verdade. Dei graças por essa comunhão de meus irmãos e irmãs que me permitiu compreender melhor o amor e a misericórdia de Deus. A partir de então, convalesci em casa e também participei de reuniões. Comecei a levar uma vida de igreja normal.

Um dia, eu li essas palavras de Deus: “E então há a maioria das pessoas que encontram sustento espiritual em Deus.” “Se as pessoas se apegarem a essas formas de crença, quais consequência elas terão que encarar? Com tais formas de crença, elas serão capazes de se aproximar cada vez mais do cumprimento das exigências de Deus? (Não, não serão.) Pelo contrário, por causa de suas noções e imaginações, elas se afastarão cada vez mais do caminho de Deus, pois a direção que buscam é o oposto da direção que Deus requer que elas tomem. […] Você só vai ganhar com sua fé em Deus se você se aproximar dela como a maior coisa em sua vida, mais importante ainda do que comida, roupas ou qualquer outra coisa!” O que essas palavras de Deus revelaram me deixou com um sentimento de vergonha e culpa - eu era exatamente o tipo de pessoa que estava sendo exposta nas palavras de Deus. Eu tratava a fé em Deus como algo para satisfazer minhas próprias necessidades espirituais, assim, quando passava por alguma necessidade, eu procurava a Deus que ajuda a si mesmo para resolver as dificuldades que vêm, mas quando não estava precisando, eu simplesmente O colocava de lado, sem dar a menor importância. Esse tipo de perspectiva sobre a fé não era crença em um Deus prático, mas em um Deus vago. Em última análise, eu nunca ganharia a verdade com esse tipo de fé. Essa experiência realmente transformou a perspectiva incorreta sobre a fé que eu mantive durante anos. Eu parei de tomar minha fé em Deus como algo para me dar apoio espiritual e não fiquei mais preso ao dinheiro. Eu me dispus a seguir as diretrizes de Deus e a tratar minha fé como a coisa mais importante da minha vida, gastando mais tempo para ler as palavras de Deus, praticar minha fé e buscar a verdade. Eu ficarei contente, desde que tenha comida na mesa e roupas para vestir. Já sou capaz de andar por aí e, quando os vizinhos me veem, todos dizem coisas como: “Você ficou tão machucado que nunca imaginei que sobreviveria. O Homem lá de cima realmente ajudou você!” Algumas pessoas também disseram que eu era muito sortudo, mas no fundo eu sabia que foi Deus quem me protegeu, permitindo que eu continuasse vivendo. Essa é a única razão pela qual estou aqui hoje.

Contate-nos

Esperas ansiosamente pela aparição do Senhor? Como o Senhor aparecerá? Como devemos acolher a Sua aparição? Convidamos-lhe sinceramente a juntar-se a nós na nossa reunião online para conversar sobre esse tópico connosco.