Siga-nos

É chegado o reino dos céus. Como podemos alcançar o verdadeiro arrependimento?

É chegado o reino dos céus. Como podemos alcançar o verdadeiro arrependimento?

Após ler este artigo, você saberá:

1. O que é o verdadeiro arrependimento?

2. Refletindo sobre se temos o verdadeiro arrependimento

3. Nossa natureza pecaminosa faz com que deixemos de nos arrepender verdadeiramente

4. Como alcançar o verdadeiro arrependimento


Nos últimos anos, os desastres vêm se tornando cada vez mais graves, como terremotos, pragas, incêndios, inundações e assim por diante. Muitas pessoas perceberam que desastres frequentes são sinais da volta do Senhor e o dia do Senhor está chegando. O Senhor Jesus disse: “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus” (Mateus 4:17). É evidente que somente aqueles que realmente se arrependem podem ser protegidos por Deus e evitar ser destruídos em desastres. Então, o que é o verdadeiro arrependimento? Como podemos alcançar o verdadeiro arrependimento? Vamos explorar esse tópico juntos.

O que é o verdadeiro arrependimento?

O arrependimento dos ninivitas

Falando em verdadeiro arrependimento, temos que mencionar como os ninivitas se arrependeram verdadeiramente diante de Deus. Quando os ninivitas ouviram as palavras de Deus por meio de Jonas: “Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida” (Jonas 3:4), eles acreditaram e obedeceram às palavras de Deus e estavam dispostos a se arrepender. O rei de Nínive também realizou uma série de ações de arrependimento: pôs de lado seu status real, tirou suas vestes reais e sentou-se nas cinzas; também ordenou que pessoas e animais jejuassem e levou adultos e crianças a se confessarem e se arrependerem diante de Deus vestindo-se com pano de saco e cobrindo-se de cinzas. O povo de Nínive mostrou verdadeiro remorso em seus corações, decidindo se afastar de seus maus caminhos e abandonar a violência em suas mãos. Deus examinou o que havia no fundo do coração deles e, finalmente, mudou Sua opinião, não os destruindo.

O arrependimento do rei Davi

A experiência de arrependimento do rei Davi também está registrada na Bíblia. Quando Deus Jeová enviou Natã, o profeta, para falar com Davi, para torná-lo ciente de seus pecados ao roubar Bate-Seba para ele e matar Urias, ele ficou realmente arrependido e se odiou, jejuando e orando diariamente diante de Deus, arrependendo-se e confessando seus pecados e pedindo a misericórdia de Deus. Ele orou: “Volta-te, Jeová, livra a minha alma; salva-me por tua misericórdia. […] toda noite faço nadar em lágrimas a minha cama, inundo com elas o meu leito” (Salmos 6:4,6).  Quando ele envelheceu, seus criados escolheram uma virgem incrivelmente bonita para aquecer sua cama, mas Davi nunca a tocou. Do tema do arrependimento de Davi, podemos ver que ele possuía um coração que temia a Deus, e que não apenas sentia verdadeiro arrependimento e aversão por seus pecados, mas também tinha uma demonstração de verdadeiro arrependimento e passou por uma mudança real.

Portanto, não é difícil ver que o verdadeiro arrependimento não é tão simples como confessar nossos pecados e más ações a Deus em orações, mas depende do que fazemos e se temos mudanças reais. Precisamente, para alcançar o verdadeiro arrependimento, precisamos saber qual é a atitude de Deus em relação aos pecados do homem e devemos estar cientes da essência e do dano de nossos pecados. Somente dessa maneira podem a reverência e o temor verdadeiros por Deus surgir dentro de nós e então sentiremos verdadeiro arrependimento e aversão do fundo de nossos corações por nossos pecados, não seguiremos mais o mesmo caminho anterior que sempre seguimos e começaremos a fazer uma mudança e a nos tornar pessoas novas – somente isso é o verdadeiro arrependimento.

Refletindo sobre se temos o verdadeiro arrependimento

Refletindo sobre nós mesmos, alcançamos o verdadeiro arrependimento? Talvez algumas pessoas digam: “Antes de crer no Senhor, brigávamos com os outros e argumentávamos em nosso favor quando as coisas aconteciam conosco, mas agora somos humildes e temos tolerância e paciência com os outros. No passado, éramos egoístas e só considerávamos nossos próprios interesses, mas agora temos um pouco de amor pelos outros e podemos ajudá-los e apoiá-los quando percebemos que são fracos. Essas boas ações externas não são exemplos de nosso verdadeiro arrependimento?” No entanto, já pensamos em quanto tempo podemos perseverar em nos arrepender dessa maneira? De fato, podemos perceber que em nossa vida, quando nossos benefícios pessoais não estão em jogo, podemos ser tolerantes e pacientes com as pessoas e não brigar com os outros. Quando outras pessoas começam a infringir nossos interesses ou ferir nosso orgulho, no entanto, passamos a odiá-las ou até a se vingar delas. Embora sejamos humildes externamente, quando os outros não concordam conosco, sempre queremos que eles nos escutem e, embora não discutamos com eles, ainda mantemos nossas próprias ideias em nossos corações e fazemos o que queremos. Além disso, também mentiremos, enganaremos os outros, perderemos a paciência, revelaremos nossa fúria e invejaremos os outros. Embora muitas vezes oremos e confessemos nossos pecados, isso é apenas uma admissão verbal e não é aversão ou desdém por nossos pecados que sentimos do fundo de nossos corações. Então, cometeremos os mesmos erros anteriores em algumas situações, vivendo em um círculo vicioso de pecar durante o dia e confessar à noite e sem nenhuma mudança real. O Senhor Jesus disse: “Porque não há árvore boa que dê mau fruto nem tampouco árvore má que dê bom fruto. Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto” (Lucas 6:43-44). Mateus 3:8 revela: “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento.” Refletindo sobre nossa expressão real, podemos ver que o que produzimos é fruto pecaminoso e não alcançamos o genuíno arrependimento e mudança, o que mostra que ainda vivemos em pecado e não temos o verdadeiro arrependimento.

Nossa natureza pecaminosa faz com que deixemos de nos arrepender verdadeiramente

Talvez algumas pessoas perguntem: “Nossos pecados foram perdoados porque aceitamos a salvação do Senhor Jesus. Mas por que ainda vivemos em pecado e não conseguimos alcançar o verdadeiro arrependimento?” Vamos ler duas passagens das palavras de Deus e entenderemos essa pergunta.

Deus diz, “Embora o homem possa ter sido redimido e perdoado de seus pecados, isso só pode ser considerado como Deus não Se lembrar das transgressões do homem e não tratar o homem de acordo com as suas transgressões. No entanto, quando o homem, que vive num corpo de carne, não foi liberto do pecado, ele só pode continuar pecando, revelando infinitamente o caráter satânico corrupto. Essa é a vida que o homem leva, um ciclo interminável de pecar e ser perdoado. A maioria dos homens peca de dia apenas para confessar à noite. Desse modo, mesmo que a oferta pelo pecado seja para sempre efetiva para o homem, ela não será capaz de salvar o homem do pecado. Apenas metade da obra da salvação já foi concluída, pois o homem ainda tem caráter corrupto.” “Os pecados do homem foram perdoados, e isso foi por causa da obra da crucificação de Deus, mas o homem continuou a viver no caráter satânico corrupto antigo. Sendo assim, o homem deve ser completamente salvo de seu caráter satânico corrupto para que a natureza pecaminosa do homem seja completamente extirpada para nunca mais se desenvolver, permitindo, assim, que o caráter do homem seja transformado. Isso requer que o homem entenda a senda do crescimento na vida, entenda o caminho da vida e entenda o caminho para mudar seu caráter. Além disso, requer que o homem aja de acordo com essa senda, para que o caráter do homem possa ser mudado paulatinamente e que ele possa viver sob o brilho da luz, para que tudo o que ele faça esteja de acordo com a vontade de Deus, para que ele possa eliminar o seu caráter satânico corrupto e para que possa libertar-se da influência das trevas de Satanás, emergindo, assim, completamente do pecado. Só então o homem receberá a salvação completa.

Pelas palavras de Deus, podemos ver que a razão pela qual ainda pecamos e não podemos alcançar o verdadeiro arrependimento é porque temos uma natureza pecaminosa satânica. Como sabemos, o Senhor Jesus, de acordo com as necessidades do homem naquela época, realizou a obra de redenção, tornou-se uma oferta pelo pecado para a humanidade por meio da crucificação e libertou o homem das maldições e condenações da lei. Portanto, desde que confessemos e nos arrependamos de nossos pecados ao Senhor, nossos pecados serão perdoados e, então, estaremos aptos a desfrutar de Sua graça abundante. No entanto, o Senhor Jesus apenas nos absolveu de nossos pecados, mas Ele não nos absolveu de nossa natureza pecaminosa. E os caracteres satânicos profundamente enraizadas em nós mesmos, como a arrogância e a presunção, o egoísmo e a baixeza, a desonestidade e a falsidade, a ganância e a maldade, ainda permanecem dentro de nós e são a fonte do nosso pecado. Se não podemos nos livrar desses caracteres corruptos, frequentemente pecaremos e resistiremos a Deus, apesar de nós mesmos. Este é um fato inegável. Isto é, se a nossa natureza pecaminosa e a fonte do nosso pecado não puderem ser resolvidas, não importa quanto tempo cremos no Senhor, ainda não podemos alcançar o verdadeiro arrependimento ou parar de pecar e nunca entraremos no reino de Deus.

Como alcançar o verdadeiro arrependimento

Então, como podemos alcançar o verdadeiro arrependimento? O Senhor Jesus profetizou: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, Aquele, o Espírito da verdade, Ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por Si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13). “Quem Me rejeita, e não recebe as Minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia” (João 12:48). A Bíblia profetiza: “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus” (1 Pedro 4:17). Pode-se ver nesses versículos que há muitas verdades que o Senhor Jesus não nos havia dito quando realizou Sua obra. Como as pessoas daquele tempo haviam acabado de ser redimidas por estarem sujeitas à lei e eram de pequena estatura, tudo o que podiam fazer era estar cientes de seus pecados e depois se confessar e se arrepender e qualquer verdade mais profunda sobre a mudança de seus caracteres corruptos era simplesmente incompreensível para elas. Portanto, o Senhor Jesus nos prometeu que voltaria nos últimos dias, expressaria a verdade que não entendíamos antes e julgaria nossos pecados, para que pudéssemos escapar de nossos caracteres corruptos e alcançar o verdadeiro arrependimento.

Agora, o Senhor Jesus se tornou carne e voltou. Ele expressa todas as verdades para purificar e salvar a humanidade e faz o trabalho de julgamento começando na casa de Deus para erradicar completamente a causa dos pecados da humanidade, para que as pessoas possam alcançar o verdadeiro arrependimento e mudança e não mais pecar ou resistir a Deus. Isso cumpre a profecia do Senhor Jesus: “E, se alguém ouvir as Minhas palavras, e não as guardar, Eu não o julgo; pois Eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem Me rejeita, e não recebe as Minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia” (João 12:47-48). Então, como é que Deus usa as palavras para fazer o julgamento funcionar para nos purificar e nos permitir alcançar o verdadeiro arrependimento? Vamos ler uma passagem das palavras de Deus.

As palavras de Deus dizem, “Nos últimos dias, Cristo usa uma variedade de verdades para ensinar o homem, expor a essência do homem e dissecar suas palavras e ações. Essas palavras abrangem várias verdades: o dever do homem, como o homem deveria obedecer a Deus, como o homem deveria ser leal a Deus, como o homem deve viver a humanidade normal, bem como a sabedoria e o caráter de Deus e assim por diante. Essas palavras são todas dirigidas à essência do homem e ao seu caráter corrupto. Em especial, essas palavras que expõem como o homem desdenha de Deus são faladas em relação a como o homem é a corporificação de Satanás e uma força inimiga contra Deus. Ao realizar Sua obra de julgamento, Deus não só torna clara a natureza do homem com apenas algumas palavras; Ele também expõe, trata e poda no longo prazo. Esses métodos de exposição, tratamento e poda não podem ser substituídos por palavras comuns, mas pela verdade que o homem absolutamente não possui. Apenas métodos desse tipo são considerados julgamento; só por meio de julgamento desse tipo é que o homem pode ser subjugado e completamente convencido a se submeter a Deus e, além disso, ganhar verdadeiro conhecimento de Deus. O que a obra de julgamento produz é o entendimento do homem da verdadeira face de Deus e da verdade sobre a própria rebelião. A obra de julgamento permite que o homem ganhe bastante entendimento da vontade de Deus, do propósito da obra de Deus e dos mistérios que lhe são incompreensíveis. Também permite que o homem reconheça e conheça sua substância corrupta e as raízes de sua corrupção, bem como descubra a fealdade do homem. Esses efeitos são todos produzidos pela obra de julgamento, pois a substância dessa obra é, de fato, a obra de abrir a verdade, o caminho e a vida de Deus a todos aqueles que têm fé Nele.

Nos últimos dias, Deus expressa a verdade para fazer as pessoas alcançarem o verdadeiro arrependimento. Suas palavras revelam com total clareza nossa natureza satânica de resistir e trair a Deus, nossas atitudes em relação a Deus e em relação à verdade e nossas ações erradas em nossa crença e disseca nossas ações e pensamentos mais íntimos. Como uma espada de dois gumes, as palavras de Deus perfuram nosso coração e nos fazem conhecer a raiz de nosso pecado e ver claramente a verdade de nossa corrupção nas mãos de Satanás, permitindo-nos reconhecer como nossa natureza e substância são cheias de arrogância, presunção, egoísmo e traição. Conhecemos claramente os requisitos de Deus, mas sempre somos controlados por esses caracteres satânicos, nos rebelando contra Deus e resistindo a Deus contra nossa vontade e incapazes de praticar a verdade, por isso nos tornamos a personificação de Satanás. Diante do julgamento e castigo de Deus, ficamos totalmente convencidos pelas palavras de Deus, nos prostramos diante de Deus e começamos a nos odiar e a nos amaldiçoar e assim temos o verdadeiro arrependimento. Enquanto isso, também sentimos profundamente que a palavra de Deus é a verdade, ela é toda a revelação do caráter de Deus e o que é a vida de Deus. Vemos que o caráter justo de Deus não tolera ofensas e que a essência da santidade de Deus não tolera imperfeições. O resultado é que nasce um coração que reverencia a Deus, e começamos a buscar a verdade com toda a força e a nos comportar de acordo com a palavra de Deus. Seguindo nosso entendimento gradual da verdade, conhecemos cada vez mais nossa natureza e tendência satânicas e também conhecemos a Deus cada vez mais. Gradualmente, podemos praticar a verdade para compensar nossas transgressões passadas e então nossos caracteres corruptos podem ser purificadas. Aos poucos, escaparemos dos vínculos do pecado, não seremos mais controlados por caracteres satânicos corruptos, não praticaremos mais o mal ou desafiaremos a Deus e seremos capazes de realmente obedecer e adorar a Deus e alcançar o verdadeiro arrependimento. Assim, aceitar o trabalho de julgamento de Deus nos últimos dias é o único caminho para alcançarmos o verdadeiro arrependimento.

O trabalho do julgamento de Deus está chegando ao fim e todos os tipos de desastres ocorrem um após o outro, portanto não temos muita chance de nos arrepender. Nesse momento crucial, somente aceitando o trabalho de julgamento de Deus nos últimos dias podemos escapar dos pecados e alcançar o verdadeiro arrependimento. Caso contrário, nosso sonho de entrar no reino dos céus nunca será realizado.

Por Emily

Tradutora: Magaly Munik da Rocha-Kamerman


Veja Também:

Filme gospel “O povo do reino dos céus” Somente pessoas honestas podem entrar no reino dos céus

O Senhor Jesus disse: “Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus” (Mateus 18:3). O Senhor Jesus nos disse que apenas pessoas honestas podem entrar no reino dos céus; apenas pessoas honestas podem ser pessoas do reino. Este filme conta a história da cristã Cheng Nuo sobre sua experiência da obra de Deus e sua busca de se tornar uma pessoa honesta na vida.

Cheng Nuo tinha sido uma médica. Mesmo após crer em Deus, quando ela se depara com coisas que afetam seus próprios interesses e sua reputação no dia a dia, ela ainda não consegue se impedir de mentir e enganar. Diante de provações e tribulações, ela até desenvolve equívocos e queixas sobre Deus, mas através da busca incansável pela verdade, ela ganha um entendimento da raiz de sua desonestidade e sua natureza satânica egoísta e evasiva. Ela começa a se concentrar na busca pela verdade para resolver a sua tendência de mentir e a desonestidade em seu coração. Mais tarde, quando ela é presa pelo governo do Partido Comunista Chinês enquanto cumpre o seu dever e sofre torturas devastadoras, ela está disposta a morrer antes de contar uma mentira e se recusa a negar a Deus. Ela dá um testemunho lindo e retumbante de Deus. Cheng Nuo é capaz de, gradativamente, tornar-se uma pessoa honesta e de amar e obedecer verdadeiramente a Deus. Qual, então, é realmente a sua história?

Clique para ler mais

Contate-nos

Diante da proibição de reuniões da igreja durante o COVID-19, o que os cristãos devem fazer? Clique para se juntar a nós em nossas reuniões online.

Venha conversar com a gente! Converse conosco no WhatsApp
WhatsApp

Por favor, leia e concorde com a nossa política de privacidade abaixo para começar a conversar com a gente.

Você leu e concordou com a nossa política de privacidade?