Menu

Por trás de “cinco pães e Dois peixes”, quais são os pensamentos do Senhor Jesus exatamente?

Há um registro na Bíblia: “Ao que lhe disse um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro: Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas que é isto para tantos? Disse Jesus: Fazei reclinar-se o povo. Ora, naquele lugar havia muita relva. Reclinaram-se aí, pois, os homens em número de quase cinco mil. Jesus, então, tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos que estavam reclinados; e de igual modo os peixes, quanto eles queriam. E quando estavam saciados, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca. Recolheram-nos, pois e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido” (João 6:8-13).

Toda vez que vejo essa passagem sobre como o Senhor Jesus alimentou cinco mil pessoas com apenas cinco pães e dois peixes, me sinto tão chocado e posso confirmar mais profundamente em meu coração que o Senhor Jesus é de fato o único Deus verdadeiro, que supre tudo, comanda todas as coisas e pode trazer algo do nada. Também tenho a certeza de que, mesmo que não houvesse comida naquela época, o Senhor Jesus ainda poderia realizar este milagre para alimentar essas cinco mil pessoas, ou até mais, porque nada é impossível para Deus. O ato maravilhoso do Senhor Jesus se tornou o fundamento da minha crença e busca por Ele.

Depois disso, vi as seguintes passagens das palavras de Deus, que me fizeram ter uma aceitação e conhecimento ainda mais profundos dos pensamentos do Senhor Jesus por trás do milagre de cinco pães e dois peixes.

Este livro da verdade diz: “Primeiro, tentemos entender que tipo de pessoas eram esses cinco mil. Eram seguidores do Senhor Jesus? A partir das escrituras, sabemos que elas não eram Seus seguidores. Elas sabiam quem era o Senhor Jesus? Certamente não! No mínimo, não sabiam que a pessoa postada diante delas era Cristo, ou talvez algumas pessoas soubessem apenas o Seu nome ou soubessem de algo ou tivessem ouvido algo sobre as coisas que Ele havia feito. Sua curiosidade sobre o Senhor Jesus só foi despertada quando ouviram histórias sobre Ele, mas vocês decerto não poderiam dizer que elas O seguiam e muito menos que O compreendiam. Quando o Senhor Jesus viu essas cinco mil pessoas, elas estavam com fome e só conseguiam pensar em encher sua barriga. Foi nesse contexto que o Senhor Jesus satisfez o seu desejo. Quando Ele satisfez seu desejo, o que estava no Seu coração? Qual era a atitude Dele em relação a essas pessoas que só queriam satisfazer sua fome? Naquele momento, os pensamentos e a atitude do Senhor Jesus estavam relacionados ao caráter e à essência de Deus. Diante dessas cinco mil pessoas de estômago vazio que queriam apenas comer uma refeição completa, enfrentando essas pessoas cheias de curiosidade e de esperança a respeito Dele, o Senhor Jesus só pensou em utilizar esse milagre para conceder-lhes graça. No entanto, Ele não teve a esperança de que elas se tornassem Seus seguidores, pois Ele sabia que elas só queriam se divertir e comer; portanto, Ele fez o melhor possível com aquilo que Ele tinha ali e usou cinco pães e dois peixes para alimentar cinco mil pessoas. Ele abriu os olhos dessas pessoas que gostavam de ver coisas excitantes, que queriam testemunhar milagres, e elas viram com seus próprios olhos as coisas que Deus encarnado podia realizar. Embora o Senhor Jesus tenha usado algo tangível para satisfazer sua curiosidade, Ele já sabia em Seu coração que essas cinco mil pessoas só queriam fazer uma boa refeição; por isso Ele não pregou a elas nem disse absolutamente nada — Ele apenas permitiu que elas vissem esse milagre ao vivo. Ele não podia, de modo algum, tratar essas pessoas da mesma forma que tratava os discípulos, que verdadeiramente O seguiam, mas, no coração de Deus, todas as criaturas estão sob Seu governo, e Ele permitiria que todas as criaturas à Sua vista desfrutassem da graça de Deus quando fosse necessário. Embora essas pessoas não soubessem quem Ele era e não O compreendessem nem tivessem nenhuma impressão especial Dele nem gratidão para com Ele mesmo depois de terem comido os pães e os peixes, isso não era algo a que Deus Se opusesse — Ele deu a essas pessoas uma maravilhosa oportunidade de desfrutar da graça de Deus. Algumas pessoas dizem que Deus segue seus princípios naquilo que faz, que Ele não vigia nem protege incrédulos e que, especialmente, Ele não permite que eles desfrutem de Sua graça. Será realmente esse o caso? Aos olhos de Deus, contanto que sejam criaturas vivas que Ele Mesmo criou, Ele administrará e cuidará delas, e de várias maneiras Ele as tratará, fará planos para elas e as governará. São esses os pensamentos e a atitude de Deus para com todas as coisas.

Embora as cinco mil pessoas que comeram os pães e os peixes não planejassem seguir o Senhor Jesus, Ele não fez exigências rigorosas a elas; após terem comido até ficarem satisfeitos, vocês sabem o que o Senhor Jesus fez? Ele pregou alguma coisa a eles? Para onde Ele foi depois de fazer isso? As escrituras não registram que o Senhor Jesus tenha lhes dito algo, só que partiu em silêncio após realizar Seu milagre. Assim, Ele fez qualquer exigência a essas pessoas? Houve algum ódio? Não, não houve nada disso, Ele simplesmente não queria mais dar atenção a essas pessoas que não podiam segui-Lo, e nesse momento Seu coração sentiu dor. Pois Ele tinha visto a depravação da humanidade e sentido a rejeição da humanidade por Ele, quando Ele viu essas pessoas ou estava com elas, Ele se entristeceu com a obtusidade e a ignorância humanas, e Seu coração sentiu dor, tudo que Ele queria era deixar essas pessoas o mais rápido possível. O Senhor não fez nenhuma exigência a elas em Seu coração, não queria lhes dar atenção e, sobretudo, não queria gastar Sua energia com eles. Ele sabia que eles não poderiam segui-Lo, mas, apesar de tudo isso, Sua atitude para com eles foi muito clara. Ele só queria tratá-los com bondade, conceder-lhes graça, e essa era, de fato, a atitude de Deus para com cada criatura sob o Seu governo — tratar cada criatura com bondade, prover para ela e alimentá-la. Justamente por ter sido o Senhor Jesus o Deus encarnado, Ele naturalmente revelava a própria essência de Deus e assim tratou essas pessoas com bondade. Ele as tratou com um coração de benevolência e tolerância, e com tal coração Ele lhes demonstrou bondade. […]

… Mesmo que essa seja uma história que as pessoas têm lido durante milhares de anos, ela tem um enredo simples e permite que as pessoas vejam um fenômeno simples, mas nesse enredo simples podemos ver algo mais valioso, que é o caráter de Deus e o que Ele tem e é. Essas coisas que Ele tem e é representam o Próprio Deus, são uma expressão dos pensamentos do Próprio Deus. Quando Deus expressa Seus pensamentos, isso é uma expressão da voz do Seu coração. Ele espera que haverá pessoas capazes de compreendê-Lo, conhecê-Lo e compreender a Sua vontade e capazes de ouvir a voz do Seu coração e cooperar ativamente para satisfazer a Sua vontade. Essas coisas que o Senhor Jesus fez foram uma expressão muda de Deus” (‘A obra de Deus, o caráter de Deus e o Próprio Deus III’ em “A Palavra manifesta em carne”).

Estas palavras me fizeram ter um novo entendimento da história de cinco pães e dois peixes na Escritura. No passado, eu havia lido essa passagem das escrituras muitas vezes, mas o que eu conseguia entender era apenas a autoridade e habilidade de Deus, mas não tinha conhecimento dos pensamentos do Senhor Jesus ou do o caráter e da substância que Ele revelou por trás do milagre. Somente através da dissecção e da revelação de Deus, realizadas desta forma, eu soube que: o que Deus tinha feito era verdadeiramente significativo.

A partir de tais palavras, vi que observando aquelas pessoas que queiram apenas uma boa refeição, mas não estavam dispostas a buscar a verdade ou uma compreensão de Deus, Ele concedeu a elas somente a graça de ficarem saciadas. Esta foi a atitude de Deus. Mesmo que eles não O seguissem depois de comerem o suficiente, Deus não fez quaisquer exigências ou nem sentiu ódio deles em Seu coração. Isso revelou ainda mais da substância de beleza e bondade de Deus. Além disso, Deus sabia que aquelas cinco mil pessoas que tiveram uma boa refeição não O seguiriam, por isso, Ele não alimentava esperanças a esse respeito e não tinha a intenção de dizer mais nada a elas. Com isso eu aprendi que, embora Deus ame e trate as pessoas gentilmente, Ele é íntegro em seu tratamento dos diferentes tipos de pessoas. Quanto àqueles que acreditavam em Deus, mas só queriam comer do seu pão, Ele derramou graça sobre eles e tratou-os gentilmente, mas não iria expressar Sua vontade para eles. Entretanto, Deus fornecia mais verdades para Seus discípulos, que O amavam de verdade e O seguiam, para saciar seus espíritos e para fazê-los viver em Sua orientação e bênçãos.

Nestas palavras, eu vi também a voz do coração que Deus expressou a nós por trás de “cinco pães e dois peixes”. Embora muitas pessoas se coloquem diante de Deus, caso elas creiam Nele somente para comer do Seu pão e obter a paz da carne ou bênçãos no futuro, mas não perseguem a verdade ou o conhecimento de Deus, elas nunca serão capazes de receber a aprovação Dele, muito menos ganhar a verdade e a vida. O Senhor Jesus disse: “Em verdade, em verdade vos digo que Me buscais, não porque vistes sinais, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o Seu selo” (João 6:26-27). “Se vós permanecerdes na Minha palavra, verdadeiramente sois Meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:31-32). Podemos ver que a vontade do Senhor não é nos deixar meramente comer nossa porção de pão e obter alegria material e bênçãos; em vez disso, devemos buscar obter a verdade e seguir o caminho de Deus. Não importa o que aconteça em nossa vida real, devemos praticar de acordo com os ensinamentos do Senhor e buscar amá-Lo e satisfazê-Lo. Só assim podemos obter a verdade, receber a promessa de Deus e ganhar a vida eterna. Quais são os pensamentos do Senhor Jesus que estão por trás dos cinco pães e dois peixes? Você compreende agora?

Traduzido por Maria Carolina Siqueira, Brazil

Leia mais:

Q que a graça de Deus inclui?

Qual é a maior graça de Deus para o homem?

Contate-nos

Esperas ansiosamente pela aparição do Senhor? Como o Senhor aparecerá? Como devemos acolher a Sua aparição? Convidamos-lhe sinceramente a juntar-se a nós na nossa reunião online para conversar sobre esse tópico connosco.