Siga-nos

Estudo sobre as dez virgens: Virgens sábias sabem reconhecer a voz de Deus

O Senhor Jesus disse certa vez: “Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram insensatas, e cinco prudentes. Ora, as insensatas, tomando as lâmpadas, não levaram azeite consigo. As prudentes, porém, levaram azeite em suas vasilhas, juntamente com as lâmpadas” (Mateus 25:1-4). A partir desse versículo, vemos que quando esperavam pela volta do Senhor, as virgens sábias encheram suas vasilhas de óleo de forma ativa. Por causa disso, elas não foram esquecidas pelo Senhor e, no fim, foram às bodas no reino dos céus junto com Ele. Normalmente, depois de ler esta escritura, os irmãos e irmãs vão pensar de acordo com suas imaginações que, contanto que leiamos a Bíblia com frequência, vigiemos e oremos, e sejamos fiéis ao caminho do Senhor, trabalhemos por Ele e divulguemos mais o evangelho, estaremos preparando o óleo e seremos as virgens sábias agindo assim. E então, quando o Senhor voltar, estaremos no banquete junto com Ele. Ainda assim, o modo que o Senhor aprova as virgens sábias é o mesmo que nós pensamos?

as dez virgens

Vamos olhar para a Era da Lei, antes do Senhor Jesus vir fazer a obra: os escribas e fariseus ansiavam pelo Messias vindouro. Eles não apenas conheciam bem a Bíblia, mas também se apegavam às leis e mandamentos, oravam com frequência ao Senhor Deus e até viajavam por terra e mar para espalhar a obra de Deus. Se for como imaginamos, os fariseus, ao praticar isso, estavam preparando o óleo e eram os mais qualificados para encontrar o Messias e receber a salvação de Deus com o que eles mostravam. Entretanto, qual foi o fato? Quando o Senhor Jesus veio realizar a obra, os fariseus não reconheceram que Ele era o Messias vindouro, mas, em vez disso, mantiveram o nome do Messias, resistindo e rejeitando a obra do Senhor Jesus. No fim, O crucificaram e foram amaldiçoados e punidos. A partir do fato de que os fariseus resistiram a Deus e foram punidos, podemos ver que ler mais a Bíblia, vigiar e orar, apegar-se ao caminho do Senhor e trabalhar mais por Ele, dificilmente nos qualifica como virgens sábias.

A sabedoria de virgens sábias

Então quem são as virgens sábias? Vamos dar uma olhada em como os judeus e os discípulos do Senhor Jesus O reconheceram e foram aprovados por Ele. Todos sabemos que a Bíblia registra a história da mulher samaritana. Quando ela ouviu o Senhor Jesus dizer: “Porque cinco maridos tiveste, e o que agora tens não é teu marido; isso disseste com verdade” (João 4:18), ela disse à multidão: “Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto eu tenho feito; será este, porventura, o Cristo?” (João 4:29). A partir desses versículos, podemos ver que a mulher samaritana percebeu, a partir das palavras do Senhor Jesus, que Ele é o Cristo, pois ela sabia que apenas Deus pode observar tudo, conhecer os segredos mais íntimos do homem e narrar todas as coisas que ela já havia feito. Ninguém, a não ser Deus, tem tal autoridade e poder. Então, quando o Senhor Jesus falou com ela sobre seus maridos, ela reconheceu na hora que Ele era Cristo. A partir de sua experiência, podemos ver que sua sabedoria foi que ela pôde reconhecer a voz de Deus e que, assim que ouviu essa voz, pôde aceitar a verdade, ganhando, então, a salvação do Senhor Jesus. Além disso, podemos ver na Bíblia que pessoas como Pedro e Natanael também reconheceram o Senhor pelas Suas palavras e, assim, O seguiram.

Através desses fatos, podemos entender que o ponto mais fundamental para ser uma virgem sábia é sermos capazes de discernir a voz de Deus. Provérbios 9.10 diz: “O temor do Senhor é o princípio sabedoria; e o conhecimento do Santo é o entendimento.” É óbvio que, para sermos virgens sábias, para dar as boas-vindas à volta do Senhor, não é suficiente que apenas prestemos atenção na leitura da Bíblia, na oração e trabalhemos mais pelo Senhor. Em Apocalipse 3.20, Deus diz: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.” Isso mostra que, quando Deus voltar novamente nos últimos dias, Ele continuará a falar. Então, é absolutamente vital que reconheçamos a voz do Senhor. Apenas aqueles que conseguem reconhecer a voz de Deus e assumem para si dar as boas-vindas a Sua chegada são as virgens sábias, e podem participar das bodas do reino dos céus junto com o Senhor. Entretanto, aqueles que não puderem reconhecer a voz de Deus, como os fariseus, e até O odeiam e rejeitam, em vez de aceitá-Lo, quando ouvem Sua voz, estão condenados a serem esquecidos pelo Senhor.

Como distinguir a voz de Deus

Agora, você deve estar ansiosa para saber: Como podemos reconhecer a voz de Deus? Certa vez, li uma passagem em uma comunhão sobre isso em um livro espiritual. Abaixo, compartilharei com você vários princípios sobre como discernir a voz de Deus.

1. As palavras expressadas por Deus são a verdade. 

O Senhor Jesus disse: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” (João 14:6). E João 1.1-4 diz: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. […] Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.” A partir das escrituras, podemos dizer, com certeza, que o próprio Deus é a verdade, a caminho e a vida. Então, as palavras expressadas por Deus são a verdade. Elas podem suprir o homem de acordo com suas necessidades reais, de forma que ele tenha uma senda para caminhar e possa receber a provisão da vida. Vamos olhar para a Era da Lei: depois que o homem foi corrompido por Satanás, ele simplesmente não tinha ideia de como viver e nem sequer sabia como adorar a Deus. Então, o Deus Jeová emitiu leis e mandamentos para guiar os israelitas a viver na terra de acordo com seu estado na época. Essas leis e mandamentos são palavras da verdade e o suprimento de vida mais prático. Nos últimos dias da Era da Lei, o homem tinha se tornado ainda mais profundamente corrupto. O homem falhou em manter a lei e pecava com frequência. Se isso continuasse, a humanidade pereceria sob a lei. Naquela época, o Senhor Jesus veio e trouxe ao homem não apenas a oferta pelo pecado, mas também novas formas de praticar. Ele nos instruiu a confessar nossos pecados e nos arrependermos diante Dele, a sermos tolerantes, pacientes, a perdoarmos os homens, amar o próximo como a nós mesmos, e assim por diante. A declaração do Senhor Jesus foi o que o homem na Era da Graça precisava com mais urgência e era o suprimento da vida dele. Nos últimos dias, como Deus nos guiará através da fala? Hebreus 9.28 diz: “Assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.” 1 Pedro 4.17 diz: “Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus” e Salmos 96.13 traz: “diante do Senhor, porque ele vem, porque vem julgar a terra: julgará o mundo com justiça e os povos com a sua fidelidade”. Portanto, nos últimos dias, Deus virá declarar Sua voz e não fará a obra de redenção novamente. Em vez disso, Ele julgará, purificará e salvará o homem dos laços do pecado, através da palavra da verdade. Cremos que aquelas virgens sábias que estão vigiando e aguardando a voz do noivo receberão algumas revelações disso.

Leia aqui: Estudo sobre o juízo final: haverá salvação no juízo final?

2. A declaração de Deus é a expressão de Seu caráter.

Irmãos e irmãs, todos nós sabemos que, no princípio, Deus usou palavras para criar todas as coisas na terra. Assim que Ele fala, Suas palavras se tornam realidade. Assim como Salmo 33.9 diz: “Pois ele falou, e tudo se fez; ele mandou, e logo tudo apareceu.” Na era do Antigo Testamento, Deus prometeu a Abraão que sua descendência seria tão numerosa como as estrelas no céu e tão abundante como a areia na praia, e isso foi cumprido. Tudo o que foi falado por Deus deve ser cumprido, uma coisa depois da outra. Esta é a autoridade e poder da palavra de Deus. Na Era da Graça, o Senhor Jesus disse: “Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que jorre para a vida eterna” (João 4:14). “Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto? ” (João 11:25-26). “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o tornais duas vezes mais filho do inferno do que vós” (Mateus 23:15). A palavra do Senhor Jesus tem autoridade e poder. A partir de Sua palavra, podemos reconhecê-la como a voz da Deus, e perceber que Suas palavras não apenas podem comandar e dominar sobre todas as coisas, mas nos conceder vida e verdade, promessas e bênçãos, e até mais que isso, pode amaldiçoar aqueles que O desobedecem e resistem a Ele. A partir das palavras de Deus, podemos ver que Deus tem amor e misericórdia por aqueles que creem Nele e O amam. Quanto àqueles que O desobedecem e Lhe resistem, Ele é cheio de majestade e ira. A partir de Suas palavras de maldição aos fariseus, vemos que o caráter justo de Deus é intolerante à ofensa dos homens. Cada sentença de Deus contém dentro de si Seu caráter e, até mesmo, carrega a autoridade única do Criador. Todas as palavras que Ele diz nunca podem ser ditas por homem algum. Nos últimos dias, Deus julgará cada homem de acordo com seus feitos e trará esta era maligna ao fim pelas palavras cheias de Seu caráter justo. Se tão-somente estivermos dispostos a aceitar as ternas palavras cheias de amor e misericórdia, que estão de acordo com nossas concepções, é muito provável que perderemos a oportunidade de dar as boas-vindas à volta do Senhor.

3. Deus pode revelar os mistérios na obra de gerenciamento de Deus.

O Senhor Jesus disse: “Assim será no fim do mundo. Mandará o Filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a iniquidade, e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o sol, no reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça” (Mateus 13:40–43). “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” (Mateus 7:21). Suas palavras nos dizem que Deus enviaria Seus anjos na frente para separar os bons dos maus, classificando todos os homens de acordo com seu tipo, e que apenas que fazem a vontade de Deus podem entrar no reino dos céus. Essas palavras expressadas por Deus são os mistérios do céu e também, em última análise, o resultado a ser alcançado quando Ele salva e gerencia o homem. A razão pela qual o Senhor Jesus pôde revelar esses mistérios é porque Ele é o próprio Deus. Ele é o Senhor do reino dos céus. Apenas Deus sabe que tipo de homem pode entrar no reino dos céus, ou seja, a declaração de Deus pode revelar mistérios de Sua obra de gerenciamento. E esta é outra característica para discernir a voz de Deus. Da mesma forma, como o Senhor Jesus disse: “Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora. Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras” (João 16:12-13). Então, a verdade que o Senhor expressará quando vier novamente não será de forma nenhuma limitada ao que recebemos antes, pois Deus expressará toda a verdade que o homem precisa para suprir aqueles que têm fome e sede dela, e para tornar toda a obra de gerenciamento de salvar o homem conhecida por todos. As virgens sábias com certeza adotaram este ponto como a característica principal para discernir a voz de Deus.

4. Deus pode revelar as corrupções do homem.

Por exemplo, o Senhor Jesus disse: “O que sai do homem , isso é que o contamina. Pois é do interior, do coração dos homens, que procedem os maus pensamentos, as prostituições, os furtos, os homicídios, os adultérios, a cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a insensatez; todas estas más coisas procedem de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7:20–23). O Senhor Jesus revela a mente, pensamentos e natureza do homem, para que possamos reconhecer os pecados dentro de nossos corações. Como fomos criados por Deus, embora não conheçamos nossas corrupções de modo nenhum depois que fomos corrompidos por Satanás, Deus tem uma compreensão completa de nós. Então, apenas Ele pode revelar a raiz de nossas corrupções e a substância de nossa natureza, o que não pode ser alcançado por ninguém. Assim como os fariseus daquela época, aos olhos dos judeus, eles são aqueles que servem a Deus de forma piedosa. Mas o Senhor Jesus pôde ver através de seus corações que odiavam a verdade e amavam a iniquidade, e os expôs dizendo: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia” (Mateus 23:27). A verdade é a luz. Qualquer escuridão e mal serão revelados à luz. Vi uma passagem da palavra de Deus que diz: “Assim como a Lua sempre segue o Sol em alternação sem fim, a obra de Deus nunca cessa e é realizada sobre você, sobre mim, sobre ele e sobre todos aqueles que seguem as pegadas de Deus e aceitam Seu julgamento e castigo.” Nos últimos dias, Deus expressa a verdade para julgar toda nossa injustiça, e isso certamente exporá nosso caráter satânico corrupto – que não conhecemos – à luz. Se não possuirmos um coração que teme a Deus ou um coração para aceitar a verdade como as virgens sábias o fizeram, é difícil que nós recebamos a salvação de Deus nos últimos dias.

A voz de Deus é a declaração que Ele dá à humanidade, e a expressão do caráter e ser de Deus. A palavra de Deus tem autoridade e poder, a qual não pode ser expressa por ninguém da humanidade corrupta. A palavra de Deus é a verdade e o caminho que pode suprir a vida do homem de maneira direta. A palavra de Deus pode encerrar a era antiga e abrir uma nova, e é ainda melhor em revelar os mistérios de Sua obra de gerenciamento. A palavra de Deus pode revelar a corrupção do homem e salvá-lo, para que ele possa se libertar do mal. Tudo isso são características únicas de Seu discurso. Se dominarmos esses princípios para discernir a voz de Deus, quando a ouvirmos, não será difícil conhecer a Deus.

Espero que a comunhão acima seja útil para você. Que todos sejamos virgens sábias, buscar com nossos corações e ouvir a voz do Senhor para que possamos dar as boas-vindas à Sua vinda em breve e festejarmos com Ele.


Artigo Recomendado:

– Como entender a parábola das dez virgens (Mateus 25:1-10)

– Como será a volta de Jesus?

Clique para ler mais

Contate-nos

Diante da proibição de reuniões da igreja durante o COVID-19, o que os cristãos devem fazer? Clique para se juntar a nós em nossas reuniões online.

Venha conversar com a gente! Converse conosco no WhatsApp
WhatsApp

Por favor, leia e concorde com a nossa política de privacidade abaixo para começar a conversar com a gente.

Você leu e concordou com a nossa política de privacidade?