Menu

As palavras de Deus me ajudam a sair do colapso de nevoeiro do meu casamento

Como o cristão deve responder ao colapso conjugal?

Um casamento maravilhoso e feliz

Desde que me lembro, meus pais discutiam o tempo todo e, muitas vezes, vi minha mãe chorando. Naquela época, eu desejava uma família feliz e pacífica. Quando cresci, determinei-me a encontrar um marido que fosse atencioso comigo e que pudesse cuidar de nossa família, e desejei um casamento maravilhoso e feliz.

Conheci meu marido através de um parente, nos casamos e tivemos duas filhas. Naquela época, fomos contratados para gerenciar uma pedreira e ele trabalhava muito todos os dias. Mas assim que chegava em casa, ainda fazia coisas como: lavar roupa e preparar o jantar. Meu marido me amava muito e nunca me deixou preocupada ou pediu a minha ajuda sobre qualquer assunto, seja ele grande ou pequeno. Todas as minhas vizinhas invejavam o fato de que eu tinha um marido tão bom e uma família tão feliz. Eu estava muito satisfeita, senti que havia me casado com um bom homem e que teria alguém para apoiar-me pelo resto da vida. Mais tarde, meu marido e um parente decidiram começar um negócio, e eu administrei o negócio da pedreira em casa. Embora fosse muito difícil e exaustivo, senti que valesse a pena, não só por tirar a pressão dele, mas também para que a nossa vida ficasse cada vez melhor. Desta forma, comigo e com ele trabalhando com o mesmo objetivo, compramos uma casa na cidade, um ano depois. Em seguida, consegui um emprego na cidade e passamos a administração da pedreira para o pai do meu marido.

Nossa vida juntos ficou cada vez melhor e a vida me pareceu muito boa. Sempre desejei que meu marido e eu passássemos o resto de nossas vidas assim, amando um ao outro, de mãos dadas, construindo uma vida melhor juntos. Nunca imaginei que o infortúnio estivesse silenciosamente vindo em minha direção.

O telefonema de uma mulher desconhecida

Um dia, meu marido disse que seu negócio não ia bem e que gostaria de abrir um restaurante em Xangai com um amigo. Eu concordei e dei 20 mil yuanes a ele. Depois disso, ele parou de enviar dinheiro e, toda vez que voltava para casa, berrava e lamentava, dizendo que o restaurante não estava tão bem. Eu o consolava, dizia a ele que não se preocupasse tanto e lhe dava dinheiro para que tivesse o suficiente para continuar o seu negócio. Apesar disso, meu marido não era mais tão otimista quanto antes e, às vezes, deliberadamente me evitava quando atendia o telefone. No entanto, eu não pensei muito neste comportamento incomum, achando que ele deveria estar sob muita pressão e não queria que eu me preocupasse!

Um dia, durante as férias de verão, meu marido voltou de Xangai e comprou algumas roupas para mim e para as nossas filhas. Eu estava muito feliz. Achei que deveria ter sido difícil para ele poupar este tempo para nos visitar e, por isso, deveríamos aproveitar ao máximo o nosso tempo juntos, mas ele disse que tinha negócios para resolver naquela tarde e saiu sozinho. Embora eu tenha ficado um pouco desapontada, achei que ele estava tão ocupado com bem de nossa família e não levei isso a sério.

Naquela noite, nosso telefone residencial tocou e eu atendi. Uma mulher jovem pediu para falar com o meu marido, referindo-se a ele pelo nome, depois disse com agressividade que eles moravam juntos em Xangai e que tinham um filho de oito meses. De repente, ao ouvir isto, senti-me atordoada e minha mente apagou. Em meu coração, eu gritava sem cessar: “Isso não é possível, isso não é possível! Meu marido nunca me trairia e faria algo assim! Ele me ama tanto! Como ele pôde me trair? Não é possível!” Mas ela falou com tanta certeza que lembrei do comportamento incomum do meu marido: “O que ela dizia poderia ser verdade? Como isso pôde acontecer?” Eu queria chorar, mas as lágrimas não caíram e, para chegar ao fundo de tudo isso, liguei para ele na mesma hora e disse-lhe para voltar para casa.

Quando lhe perguntei sobre isso, ele me surpreendeu chorando e disse-me: “Sinto muito. Por favor, me dê outra chance!” Aquelas duas palavras “sinto muito” foram como uma faca gelada perfurando o meu coração naquele momento. Senti como se o meu coração tivesse sido dilacerado. Doeu muito! Tudo o que fiz nos últimos anos foi para que eu pudesse ter uma família feliz. Nunca pensei que tudo que receberia em troca seria a traição do meu marido! Suportei a dor em meu coração e, chorando, perguntei como ele pôde fazer isso comigo. Aos prantos, ele disse que não suportou a solidão de trabalhar longe de casa e, quando viu que muitos de seus colegas de trabalho tinham amantes, não resistiu à tentação e… Naquele instante, a primeira coisa que me veio à minha mente foi pedir o divórcio. Mas, ao ver o meu marido tão arrependido e se culpando por isso, hesitei. Se de fato me divorciasse dele, minha família seria desmembrada e nossas filhas também sofreriam. Senti uma dor insuportável, como se uma faca tivesse mutilado o meu coração e eu continuava chorando sem parar: “Deus, o que devo fazer?”

Pensei sobre isso por um longo tempo. No final, para que nossas filhas não crescessem em uma família desmembrada, optei por perdoá-lo. Pedi-lhe para ir a Xangai vender o restaurante e depois voltar para casa. Ele prometeu fielmente que assim faria. Nunca pensei que, depois de voltar a Xangai, ele me mandaria uma mensagem que me deixaria em desespero: “Não tenho outra escolha, a não ser falhar com você.” Após ler a sua mensagem, fiquei perplexa por um momento. Pensei em como ele havia se desculpado com sinceridade e feito promessas tão fiéis a mim, mas não passavam de mentiras para me enganar. Meu coração parecia ter se despedaçado em um poço de gelo, e senti-me muito decepcionada.

Olhando para a minha família, que tinha sido tão feliz e toda a felicidade que eu tinha acabar, deitei na minha cama e comecei a chorar. Pensei em como, desde que meu marido foi para Xangai abrir seu restaurante, ele sempre dizia que não conseguia ganhar dinheiro porque a competição era muito acirrada e eu acreditava em cada palavra e dava a ele todo o dinheiro que trabalhava tanto para ganhar. Nunca imaginei que ele mantinha outra mulher lá e não conseguia entender como ele pôde fazer aquilo comigo. O que fiz de errado? Durante aquele tempo, passei todos os dias aos prantos. Não consegui comer ou dormir, perdi meu propósito e direção na vida por completo, fiquei muito confusa e sofri demais. Ao sair do trabalho, quando via outras famílias conversando e sorrindo enquanto caminhavam juntas ou ouvia as vozes felizes dos meus vizinhos, eu ficava muito chateada. Às vezes, sentia tanta dor que queria me vingar do meu marido, de sua nova mulher e depois acabar com a minha própria vida. Mas ao pensar nas minhas duas filhas e nos meus pais idosos, não conseguia abandoná-los. Tudo que eu conseguia fazer era definhar em dor e todos os dias da minha vida pareciam durar um ano.

As palavras de Deus derreteram o meu coração congelado

No meu maior sofrimento, minha colega testemunhou a salvação de Deus nos últimos dias para mim. Li as palavras de Deus: “O Todo-Poderoso tem misericórdia dessas pessoas que sofreram profundamente; ao mesmo tempo, está farto dessas pessoas que carecem de consciência, pois teve de esperar muito por uma resposta da humanidade. Ele deseja buscar, buscar seu coração e seu espírito, trazer-lhe água e comida, acordar você, para que você não tenha mais sede e fome. Quando você estiver enfadado e quando começar a sentir um pouco da triste desolação deste mundo, não fique perdido, não chore. Deus Todo-Poderoso, o Vigia, abraçará a sua chegada a qualquer tempo. Ele está vigiando do seu lado, esperando você voltar. Está esperando pelo dia em que você recuperará a memória de repente: quando você perceber que veio de Deus, que, em algum momento desconhecido, você perdeu a direção, em algum momento desconhecido perdeu a consciência na estrada e, em algum momento desconhecido, conseguiu um ‘pai’; quando perceber, além disso, que o Todo-Poderoso sempre esteve vigiando, esperando por muito, muito tempo, ali, pelo seu retorno” (“O suspirar do Todo-Poderoso”). Diante das palavras tão sinceras de Deus, minhas lágrimas caíram como chuva e toda a dor e a emoção contida que se acumularam durante tanto tempo, fundiram-se em minhas lágrimas e correram livremente. Antes, sempre considerei meu marido como meu único apoio e ter uma família maravilhosa e feliz como o propósito da minha vida. Depois que ele me traiu e foi embora, meu coração parecia ter sido esvaziado e deixado à deriva. Perdi meu propósito na vida e vivi sofrendo sem ter ideia do que fazer a seguir. No entanto, Deus sempre esteve ao meu lado, cuidando de mim. Deus conhecia a dor e a confusão que eu sentia e, na minha maior incapacidade, levou-me diante Dele, usou Suas palavras para consolar o meu coração ferido e fez-me ver a luz na escuridão. As palavras de Deus aqueceram o meu coração, deram-me a coragem de prosseguir e fizeram-me entender que só Ele pode ser o nosso apoio. Deus espera que voltemos para a Sua casa e, com Ele ao meu lado, pensei: “Não ficarei sozinha.” A partir de então, participei ativamente da vida na igreja e com frequencia cantei hinos, orei e li as palavras de Deus com meus irmãos e irmãs. Comungamos sobre a verdade juntos, ajudando uns aos outros e tratando uns aos outros com sinceridade. Senti um tipo de paz e alegria que nunca senti antes.

As palavras de Deus dissolveram o ódio em meu coração

Depois que passei a acreditar em Deus, meu espírito e minha aparência melhoraram drasticamente. Mas todas as noites, quando tudo estava calmo, eu olhava para as coisas que meu marido deixou para trás e não conseguia parar de pensar em cada coisa pequena que fiz para ele. Pensava em como ele havia me enganado, me traído e sentia uma dor de cortar o coração. Contra a minha vontade, fiquei cheia de ódio, tanto que considerei me vingar deles. E ainda assim, sabia que mesmo se vencesse no final, causaria um grande dano a ambas as partes e faria com que mais pessoas vivessem sofrendo. Simplesmente não consegui deixar o ódio pelo meu marido e tudo que consegui fazer em minha dor era ir diante de Deus e orar, pedindo a Ele que me ajudasse a atravessar a escuridão desse sofrimento.

Mais tarde, li na palavra de Deus: “Essas tendências surgem uma após a outra, e todas elas carregam uma influência maligna que rebaixa continuamente a humanidade, fazendo com que as pessoas percam a consciência, a humanidade e a razão, enfraquecendo sua moral e sua qualidade de caráter cada vez mais, ao ponto que podemos até dizer que a maioria das pessoas de agora não tem integridade, nem humanidade e nem qualquer consciência e muito menos qualquer razão. Então, o que são essas tendências? São tendências que você não pode ver a olho nu. Quando uma tendência nova se alastra pelo mundo, talvez apenas um pequeno número de pessoas esteja na vanguarda, agindo como formador de tendências. Elas começam fazendo alguma coisa nova, depois aceitando algum tipo de ideia ou algum tipo de perspectiva. A maioria das pessoas, contudo, será continuamente infectada, assimilada e atraída por esse tipo de tendência num estado de inconsciência, até que elas todas, sem se darem conta e involuntariamente, o aceitam e se tornam todas submersas nela e controladas por ela. Uma após a outra, tais tendências levam as pessoas, que não são de corpo e mente sãos, que não sabem o que é a verdade e que não conseguem diferenciar entre coisas positivas e negativas, a aceitá-las alegremente, bem como as visões de vida e os valores que vêm de Satanás. Elas aceitam o que Satanás lhes diz sobre como abordar a vida e o modo de viver que Satanás ‘concede’ a elas, e não têm nem a força, nem a habilidade, muito menos a consciência para resistir” (“O Próprio Deus, o Único VI”). Ao contemplar as palavras de Deus, entendi que a traição do meu marido e a minha dor foram causadas pelas tendências malignas de Satanás. Hoje, o mundo inteiro está piorando mais e mais a cada dia. As pessoas admiram o mal e se tornam cada vez mais corruptas, zombando dos pobres, mas aceitando as prostitutas e elevando as coisas negativas como se fossem positivas. Assim como as visões malignas de Satanás em “ter uma esposa/marido em casa, mas também ter um (a) amante” e “sem amante, a pessoa não tem interesse pela vida”. Visões como estas inundaram a sociedade e já permearam o coração de cada pessoa, corroendo nossos pensamentos e distorcendo a opinião de muitas pessoas sobre as coisas. As pessoas pensam que “manter um(a) amante”, “ter um caso” e “uma transa” são a norma, vivem em um enorme caldeirão de promiscuidade e maldade, gratificam suas luxúrias físicas e desfrutam os prazeres pecaminosos com avidez. Ninguém fala mais sobre a fidelidade do casamento ou das responsabilidades familiares e as pessoas não têm mais moral ou vergonha. Elas atendem apenas à satisfação de seus próprios desejos físicos e não prestam nenhuma atenção a como suas famílias se sentem, tornam-se cada vez mais perversas, depravadas, egoístas e gananciosas. Quem sabe quantas famílias se separaram e se dispersaram por este motivo? Quantas pessoas vivem um sofrimento incontornável a ponto de, por não suportarem a traição do parceiro, acabam com a própria vida? Quantas pessoas, por estarem cheias de ódio, vingam-se arbitrariamente do parceiro, provocando assim uma tragédia sem fim? Pensei em como meu marido demonstrou consideração de todas as formas concebíveis para comigo, em como nos amávamos, em sermos gentis um com o outro e em termos uma família maravilhosa e feliz. Mas depois que ele começou a trabalhar fora de casa, viu muitos de seus amigos e colegas de trabalho tendo casos e, sem saber, foi influenciado e afetado pelas tendências malignas. Ele seguiu esta tendência e começou a se relacionar com uma mulher, teve um filho com ela, completamente indiferente aos meus sentimentos ou aos sentimentos de nossas filhas, mas ao invés disso ele mentiu para mim, me enganou várias vezes e perdeu a consciência e a humanidade que um ser humano deve possuir. Tudo isso foi o fruto amargo e a desgraça que as tendências malignas trazem ao homem! Nós não somos verdadeiros, não podemos distinguir as tendências malignas de Satanás, não sabemos o que é bom e o que é mal, involuntariamente sendo tentados e corrompidos por tendências maléficas e jogados e prejudicados por Satanás. Quando entendi estas coisas, percebi que meu marido não entendeu a verdade e não conseguiu enxergar através dos truques de Satanás. Ele seguiu a tendência do mal e me traiu involuntariamente. Naquele momento, passei a entender um pouco sua traição e não mais o odiei.

Depois, orei a Deus. Não quis mais ser apanhada neste assunto que me levava a viver com tanto sofrimento e, ao invés disso, desejei ler as palavras de Deus com seriedade e buscar a verdade. Mais tarde, comecei a cumprir meus deveres de acolhimento na igreja, vivi uma vida cristã e adorei a Deus com as irmãs. Em meu coração, senti uma libertação considerável e um sorriso voltou ao meu rosto.

As palavras de Deus ajudaram-me a superar os enganos de Satanás

Um dia, a esposa do irmão mais novo do meu marido veio à minha casa e disse que ele e sua nova mulher tinham voltado para a nossa cidade natal com o filho deles. Que ela se vestia da cabeça aos pés em roupas de marcas famosas e usava várias jóias de ouro e prata, e que eu deveria estar bonita em todos os momentos. Ao ouví-la dizer isto, fiquei muito chateada. Pensei em como sempre fomos econômicos e frugais quando vivíamos juntos e nunca gastávamos dinheiro de forma desnecessária. Agora ele era completamente o oposto e estava gastando todo seu dinheiro em sua nova mulher. Senti-me muito aflita e chorei, dominada pelos meus sentimentos. Minha cunhada confortou-me e disse: “Para ser sincera, não suporto a visão deles juntos. Acho que você e ele combinam mais. Se você o acusasse de bigamia, ela iria embora e ele voltaria para você.” Fiquei um pouco influenciada pelo que ela disse e pensei: “Se fizesse isso, ele voltaria para mim e a nossa família seria inteira novamente.” Mas então pensei: “Se de fato eu o acusasse de bigamia, isso não apenas machucaria a nós dois, mas também teria um grande impacto em nossas filhas. O que devo fazer?” Naquele momento, senti uma dor esmagadora em meu coração. Percebi que a minha situação não estava certa, então imediatamente clamei a Deus, pedindo a Ele para acalmar o meu coração e guiar-me. Depois, pensei em uma passagem das palavras de Deus: “Vocês precisam estar atentos e em espera o tempo todo e precisam orar mais perante Mim. Vocês precisam reconhecer os diversos complôs e esquemas astutos de Satanás …” (“Capítulo 17”). As palavras de Deus despertaram-me com rigidez e percebi que um teste de Satanás estava diante mim. Minha cunhada dizia-me para me vestir bem e acusar o meu marido de bigamia. A primeira vista, tudo parecia ser do meu interesse, para que ele voltasse para mim mais uma vez. Mas após um pensamento cuidadoso, a essência dessas ações era agir de acordo com a ideia satânica e venenosa de que “se você não é gentil comigo, eu não serei justo com você”. Se eu vivesse em meu caráter corrupto e me vingasse dele, isso machucaria a família que ele tinha agora e o faria me odiar. Satanás estava tentando me enganar, para fazer com que eu e meu marido nos atacássemos e nos machucássemos, de modo que vivêssemos em sofrimento, sem descanso. Na verdade, desde que meu marido já havia escolhido outra mulher ao invés de mim, isso mostrou que ele não tinha mais sentimentos por mim. Mesmo se pudesse arrancá-lo de volta com alguns meios dissimulados, tudo o que conseguiria seria ele, e não o seu coração. E qual seria o significado de tal casamento desprovido de sentimentos? Isso não me causaria mais dor ainda?

Neste momento, pensei em outra passagem das palavras de Deus: “Por que o marido ama a esposa? Por que a esposa ama o marido? Por que os filhos são obedientes aos pais? Por que os pais amam cegamento os filhos? Que tipo de intenções as pessoas abrigam de fato? Sua intenção não é satisfazer seus próprios planos e desejos egoístas?” (“Deus e o homem entrarão em descanso juntos”). Através das palavras de Deus cheguei a entender que os seres humanos são egoístas. Seja o marido que ama sua esposa ou a esposa que ama seu marido, todos nós fazemos isso para satisfazer nossos próprios desejos egoístas e usamos uns aos outros - isso não é amor verdadeiro. Pensei em como tinha sido boa para o meu marido apenas para que ele fosse bom para mim, me considerasse e se importasse comigo. Enquanto meu marido se importava comigo, me adorava e conseguiu satisfazer todos os meus desejos, eu tinha sido feliz. Quando ele me traiu, eu sofri muito, pensando que ele foi indigno de tudo o que eu fizera por ele, e então o odiei. Ao saber que ele vivia feliz com sua nova mulher, senti inveja e chateada, quis fazer o que minha cunhada sugeriu, acusá-lo de bigamia e não deixá-lo ter tudo do jeito dele. Eu até quis que ele fosse preso, e usar essa ameaça como uma maneira de fazê-lo mudar de idéia e voltar para mim. Vi que estava sendo tão egoísta, desprezível e maliciosa, e tudo que estava fazendo era satisfazer meus próprios desejos.

Ao contemplar as palavras de Deus, aos poucos o meu coração começou a brilhar, e eu sabia o que tinha que fazer. Então disse à minha cunhada: “Vendo que eles têm um filho juntos, se de fato eu o processar, isso não fará bem a ninguém. Se eles vivem felizes, então eu lhes dou minha bênção.” Ao me ouvir dizer isso, ela olhou para mim com espanto e não conseguiu encontrar mais nada para dizer. Depois que ela saiu, fiz uma oração de gratidão a Deus e vi quão real era a situação que Ele havia arranjado para mim. Confrontada com os truques de Satanás, se não fosse pela liderança e orientação das palavras de Deus, eu definitivamente teria caído em uma vida de dor e teria ficado perdida, tanto que teria caído no plano astuto de Satanás e teria feito coisas em desacordo com a vontade de Deus. Eu teria feito com que nossas famílias vivessem dentro das artimanhas de Satanás em uma dor insuportável - agradeci a Deus tanto por Sua orientação!

Eu tenho uma família verdadeiramente feliz e pacífica

Mais tarde, li na palavra de Deus: “Somente por meio de Deus você pode conhecer o significado da vida, somente por meio de Deus você pode viver a humanidade real e possuir e conhecer a verdade. É somente por meio de Deus que você pode obter a vida a partir da verdade. Somente o Próprio Deus pode ajudá-lo a evitar o mal e libertá-lo do dano e controle de Satanás. Além de Deus, ninguém e nada podem salvá-lo do mar de sofrimento de maneira que você não sofra mais. Isso é determinado pela essência de Deus. Somente o Próprio Deus o salva tão desinteressadamente, somente Deus é definitivamente responsável pelo seu futuro, por seu destino e por sua vida, e Ele arranja todas as coisas para você” (“O Próprio Deus, o Único VI”). Ao contemplar as palavras de Deus, fiquei muito comovida. Pensando no caminho que segui, o amor de Deus sempre esteve comigo e me guiou. Depois que meu marido me traiu, sofri e perdi toda a esperança pela vida. Não conseguia mais sentir alegria em viver e, se Deus não tivesse me salvado, viveria em sofrimento, sem a força para me libertar. Eu não teria nenhuma direção ou propósito na vida, e teria me confundido sem rumo pela vida como um cadáver ambulante. As palavras de Deus permitiram-me entender a verdade da corrupção do homem por Satanás e ver a corrupção e os danos causados pelas suas tendências malignas, permitindo-me abandonar o ódio que tinha pelo meu marido. Quando Satanás usou minha cunhada para tentar-me, querendo que eu seguisse meus pensamentos maliciosos e me vingasse do meu marido, a iluminação e a orientação das palavras de Deus permitiram-me discernir os truques de Satanás e entender por completo que não há afeição ou amor verdadeiros entre as pessoas e que todos nós apenas nos usamos, por isso não me esforçarei mais para buscar estas coisas. Tudo isso me fez sentir que Deus estava ao meu lado, direcionando-me e guiando-me com Suas palavras, permitindo-me deixar minha dor para trás e rejeitar o dano de Satanás. O amor de Deus por mim foi tão real! Ao mesmo tempo, passei a entender por meio da auto-reflexão que, desde que me casei, eu considerava o meu marido como o meu único apoio e acreditava que ele poderia me dar uma vida maravilhosa e feliz. Somente depois de experimentar essa dor, passei a ver que ele era apenas um ser humano que havia sido corrompido por Satanás e que ele próprio vivia na corrupção de Satanás, e eu simplesmente não podia confiar nele. Só Deus é o meu apoio, e somente por vir diante Dele, experimentando a Sua obra, compreendendo a verdade e vivendo sob Sua orientação, posso obter a verdadeira felicidade.

Daquele momento em diante, deixei para trás toda a dor da traição do meu marido. Agora vivo em uma grande família, cheia do amor de Deus. Todos os dias leio as palavras de Deus, busco a verdade, cumpro o dever de um ser criado e me sinto tão tranquila e à vontade. Além disso, dentro da igreja, meus irmãos e irmãs e eu nos amamos e nos apoiamos como uma verdadeira família. Mesmo que surjam estranhezas e preconceitos, podemos ser completamente abertos uns com os outros e ter comunhão sobre a verdade para resolver os nossos problemas. Esta é a família verdadeiramente feliz e pacífica que eu sempre quis! Graças a Deus! Buscarei a verdade com diligência e cumprirei o dever de uma criatura para retribuir o amor de Deus!

Por Shuxing, França

Artigos relacionados:

Casamento cristão em crise: Como superar conflitos

Como superar uma traição do marido (I)

Contate-nos

Esperas ansiosamente pela aparição do Senhor? Como o Senhor aparecerá? Como devemos acolher a Sua aparição? Convidamos-lhe sinceramente a juntar-se a nós na nossa reunião online para conversar sobre esse tópico connosco.