Siga-nos

Conhecer Deus é a senda para temer a Deus e evitar o mal (Trecho II)

Conhecer Deus é a senda para temer a Deus e evitar o mal (Trecho II)

O ser e as posses de Deus, a essência de Deus, Seu caráter – tudo se deu a conhecer em Suas palavras para a humanidade. Quando experimentar as palavras de Deus, o homem entenderá, no processo de executá-las, o propósito por trás das palavras que Deus profere, compreenderá a fonte e o contexto das palavras de Deus e entenderá e apreciará o efeito pretendido das palavras de Deus. Para a humanidade, essas são todas coisas que o homem deve experimentar, entender e acessar para aceder à verdade e à vida, entender as intenções de Deus, ser transformado em seu caráter, e tornar-se capaz de submeter-se à soberania e arranjos de Deus. Ao mesmo tempo em que o homem experimentar, entender e acessar essas coisas, ele terá gradualmente obtido um entendimento de Deus e, nesse momento, ele também terá obtido graus diferentes de conhecimento sobre Ele. Esse entendimento e conhecimento não vêm de algo que o homem imaginou ou compôs, mas do que ele aprecia, experimenta, sente e corrobora dentro de si. Só após apreciar, experimentar, sentir e corroborar essas coisas é que o conhecimento que o homem tem de Deus adquire conteúdo; só o conhecimento que ele obtém nesse momento é real, verdadeiro e exato, e esse processo – de alcançar um entendimento e um conhecimento genuínos de Deus pela apreciação e experiência, pelo sentir e corroborar Suas palavras – não é outra coisa senão a verdadeira comunhão entre Deus e o homem. No meio desse tipo de comunhão, o homem vem verdadeiramente a entender e compreender as intenções de Deus, vem verdadeiramente a entender e conhecer o ser e as posses de Deus, a essência de Deus, vem gradualmente a entender e conhecer o caráter de Deus, chega à verdadeira certeza e correta definição do fato do domínio de Deus sobre toda a criação, e obtém um rumo substancial para o conhecimento da identidade e posição de Deus. No meio desse tipo de comunhão, o homem muda, passo a passo, suas ideias sobre Deus, não mais imaginando-O do nada nem dando rédeas a suas próprias suspeitas sobre Ele, ou entendendo-O mal, condenando-O ou julgando-O, ou duvidando Dele. Em consequência, o homem terá menos debates com Deus, terá menos conflitos com Deus e haverá menos ocasiões para que se rebele contra Deus. Em contrapartida, o cuidado por Deus e submissão do homem a Deus crescerão e sua reverência a Deus se tornará mais real assim como mais profunda. No meio desse tipo de comunhão, o homem não somente alcançará a provisão da verdade e o batismo da vida, mas, ao mesmo tempo, alcançará verdadeiro conhecimento de Deus. No meio desse tipo de comunhão, o homem não somente será transformado em seu caráter e receberá a salvação, mas, ao mesmo tempo, também adquirirá a verdadeira reverência e adoração de um ser criado para com Deus. Tendo tido esse tipo de comunhão, a fé do homem em Deus não mais será uma página em branco, ou uma promessa oferecida da boca para fora, ou uma forma de busca cega e idolatração; somente com esse tipo de comunhão a vida do homem crescerá em maturidade dia após dia e só então seu caráter gradualmente será transformado, sua fé em Deus passará, progressivamente, de uma fé incerta e vaga a uma genuína submissão e cuidado, a uma real reverência; o homem também, em sua busca por Deus, gradualmente progredirá de uma instância passiva para uma ativa, de alguém que sofre a ação para alguém que age positivamente; somente com esse tipo de comunhão o homem chegará à verdadeira compreensão e entendimento de Deus, ao verdadeiro conhecimento de Deus. Porque a grande maioria das pessoas nunca entraram em verdadeira comunhão com Deus, seu conhecimento de Deus para no nível da teoria, no nível das letras e doutrinas. Equivale a dizer que a grande maioria das pessoas, não importa quantos anos tenha crido em Deus, ainda está, no que diz respeito a conhecer Deus, no mesmo lugar onde começou, presa aos fundamentos das formas tradicionais de culto, com seus adornos de cores lendárias e superstição feudal. O fato do conhecimento de Deus pelo homem ficar paralisado no ponto de partida significa que ele é praticamente inexistente. A não ser pelo fato de o homem afirmar a posição e a identidade de Deus, a fé do homem em Deus ainda está num estado de vaga incerteza. Sendo assim, quanto pode o homem ter de verdadeira reverência a Deus?

Não importa quão firmemente você creia em Sua existência, isso não pode tomar o lugar do conhecimento de Deus nem o de sua reverência a Deus. Não importa quanto você tenha desfrutado de Suas bênçãos e de Sua graça, isso não pode tomar o lugar de seu conhecimento de Deus. Não importa quão desejoso e ansioso você esteja para consagrar e despender tudo de si por causa Dele, isso não pode tomar o lutar de seu conhecimento de Deus. Talvez você tenha se acostumado tanto com as palavras que Ele proferiu, ou as tenha até mesmo memorizado e possa recitá-las de trás para a frente, mas isso não pode tomar o lugar do seu conhecimento de Deus. Por mais intenção que o homem possa ter de seguir a Deus, se ele nunca teve uma genuína comunhão com Deus, ou uma genuína experiência das palavras de Deus, seu conhecimento de Deus não seria mais do que uma página em branco ou um devaneio interminável; por mais que você tenha sociabilizado com Deus de passagem ou O encontrado face a face, seu conhecimento de Deus ainda seria zero e sua reverência a Deus não mais do que uma frase de efeito vazia ou um ideal.

Extraído de “A Palavra manifesta em carne”

O caminho para conhecer a autoridade de Deus

I

A autoridade de Deus, Seu poder, identidade e substância não se pode entender ou conhecer com base em imaginação. Não imaginar não significa não fazer nada, nem sentar e esperar a destruição. Mas sim, não inferir por lógica, nem estudo, saber ou ciência. Ao comer, beber, viver as palavras de Deus, ter comunhão, você conhecerá e comprovará Sua autoridade, e aos poucos a entenderá e conhecerá. Esse é o caminho e atalhos não há.

II

Por Suas palavras, verdade, tudo o que enfrenta na vida, aprecie, verifique, confirme que o Deus em que você crê tem autoridade e reina sobre seu destino, saiba que o Seu poder todo tempo prova que Ele é o Próprio Deus. Só assim se pode entender Deus, só assim se pode entender Deus. Ao comer, beber, viver as palavras de Deus, ter comunhão, você conhecerá e comprovará Sua autoridade, e aos poucos a entenderá e conhecerá. Esse é o caminho e atalhos não há. Esse é o caminho e atalhos não há. Esse é o caminho e atalhos não há.

de Seguir o Cordeiro e cantar cânticos novos

Clique para ler mais

Contate-nos

Diante da proibição de reuniões da igreja durante o COVID-19, o que os cristãos devem fazer? Clique para se juntar a nós em nossas reuniões online.

WhatsApp

Por favor, leia e concorde com a nossa política de privacidade abaixo para começar a conversar com a gente.

Você leu e concordou com a nossa política de privacidade?