Menu

Como melhorar relações interpessoais com os subordinados (I)

Sou a engenheira mecânica responsável pela manutenção e design em uma empresa. Trabalho lá desde que me formei na Faculdade. Metade do ano havia passado e meu serviço estava indo muito bem. Não importava a dificuldade que eu encontrasse, estava sempre pronta a resolver com rapidez com as técnicas que eu sabia, então o gerente estava muito satisfeito com a minha performance, e me elogiou pelo bom trabalho que eu estava fazendo, parecia o emprego perfeito. Tendo sempre bons retornos do meu gerente, rapidamente comecei a sentir-me muito talentosa.

Um dia, o gerente me chamou para seu escritório e disse: “Nós não temos funcionários apropriados, eu preciso que você tome conta de alguns maquinários. Consequentemente, você terá que trabalhar muito mais. Para aliviar o seu trabalho vamos redistribuir 10 pessoas para você ser responsável. O que você acha?” Meu líder estava confiando em mim para uma tarefa como esta, eu não conseguia conter a minha animação. Pensei: com o conhecimento que ganhei nos anos da faculdade e toda experiência que obtive no estágio, estou pronta para o cargo. Então, com muita confiança, aceitei o desafio.

pós de aceitar o trabalho, eu distribui algumas tarefas aos meus subordinados, para ver como eles se sairiam, e depois faria planos de acordo com a suas performances. Entretanto, me surpreendi ao perceber que eles tinham anos de experiência, mas a capacidade era limitada. E mais, eram rigidamente inflexíveis. Quando uma máquina não operava corretamente, eles corriam para que eu os ajudasse, se não encontrassem a resposta em um livro. Eu pensei: que pessoas estúpidas! Eles não sabem como serem flexíveis no trabalho, mesmo após tantos anos de experiência. Sem muita escolha, eu tive que compartilhar o que aprendi. Embora eu estivesse frustrada, porque eles não entendiam o processo que eu havia explicado, pois tiveram pouco aprendizado, só estudaram até o ensino fundamental. Eu estava impaciente e pensei: como meu chefe pode ter escalado essas pessoas para trabalharem comigo? Eles estão me ajudando ou dificultando ainda mais? Eles são tão estúpidos. Fico imaginando como eles sobreviveram a esta loucura durante estes seis ou sete anos. Preferiria fazer tudo sozinha a precisar deles. Afinal, considerando toda a baixa educação, prefiro não dar nenhuma tarefa a eles. Se algo der errado, eu, como líder, seria responsável. Assim, eu dei apenas tarefas que não são importantes para o que a companhia realmente quer. Quanto às tarefas relacionadas aos interesses da empresa ou nas quais eles precisassem usar a cabeça, eu faria tudo pessoalmente e estudaria tudo do começo ao fim.

Trabalhando menos de duas semanas, a nova máquina começou a falhar. Toda a minha formação era conhecimento teórico, então eu não sabia resolver problemas durante a operação. Quando me lembrei da confiança que depositaram em mim, comecei a me sentir pressionada. Para comandar aquela operação, eu, com frequência, trabalhava até mais tarde e perdia algumas horas de sono para estudar o manual. Após mais de um mês, eu já tinha perdido muito sono e estava exausta no trabalho. Além do mais, eu ficava muito nervosa toda vez que ouvia que o gerente havia me chamado. Uma manhã, a máquina simplesmente parou. Meus subordinados e eu demoramos muito para repará-la, mas mesmo assim não havia dado certo. Por isso, ela não funcionou a manhã toda, o que atrasou todo o trabalho. O gerente me repreendeu e ridicularizou dizendo: “A capacidade dos estudantes de hoje é realmente muito baixa. De que serve seu conhecimento?” Ouvindo aquilo, eu me senti revoltada: será que tudo isso aconteceu porque eu não tenho conhecimento suficiente? Qual o problema? Desde que eu ganhasse a experiência necessária, eu nunca mais cometeria o mesmo erro.

No fim do mês, o gerente promoveu uma conferência. Para mostrar minha capacidade, eu dei sugestões incomparáveis com o meu conhecimento profissional. Então, quando eu estava falando, dois subordinados relativamente experientes, apontaram desvantagens na minha sugestão, o que me deixou bem irritada. Eu pensei: quantos anos você estudou? Você só trabalhou alguns anos a mais que eu. O que te qualifica para me dar conselhos? E mais, eu fui escolhida para o cargo. O que prova que eu sou só um pouco menos capacitada que você. Então, discuti com eles. Tentando reprimi-los, não pude evitar levantar minha voz e usar palavras e teorias sobre as quais eles não entendiam. Finalmente, eles se calaram, porque acharam que eu era bem professional e que eles deveriam me ouvir. Vendo que eu estava com razão, o gerente também concordou comigo.

relações interpessoais

Para mostrar toda a minha capacidade, comecei a ser dura com meus subordinados. Toda vez que os via sem trabalhar, ou não levando a sério o serviço, eu vinha com pedras na mão para acusá-los, até que não pudessem mais levantar a cabeça. Um dia vi um deles usando o Facebook durante o trabalho, fiquei muito nervosa. Pensei: você é muito irresponsável. Tem a audácia de jogar pelo celular enquanto o serviço está por fazer. Principalmente, quando os colegas de outros departamentos estavam por perto, eu sentia minha dignidade ainda mais desafiada. O comportamento de todos os meus subordinados me representava. Tão indisciplinados! Como as pessoas dos outros departamentos me veriam? Com certeza estavam rindo da minha incompetência. Assim, eu repreendi meus subordinados em voz alta: “Vocês devem seguir minhas ordens se trabalham comigo. Nada de jogos no celular ou ligações particulares durante o trabalho. Qualquer um que não obedecer pode sair daqui.” Repreendido por mim, aquele subordinado não ousava levantar a cabeça. Nesse momento eu pensei: “Devo ter falado demais”, mas desde que eu era o líder deles, era minha responsabilidade fazê-los ter um bom comportamento, então achei que estava tudo bem.

Alguns meses depois, uma irmã pregou o evangelho de Deus Todo-Poderoso para mim. Através de sua comunhão, eu soube que porque nós humanos fomos corrompidos por Satanás, existe um caráter satânico dentro de nós. Nós vivemos em dependência desse caráter satânico corrompido, cada vez com menos semelhança humana. Deus Todo-Poderoso está encarnado e expressa a verdade nos últimos dias para nos salvar e purificar. Somente se aceitarmos a Sua obra, e andarmos conforme Sua palavra, podemos nos liver de nosso caráter corrupto e viver como uma pessoa normal. A irmã sempre contava comigo seu testemunho de como experimentou a obra de Deus. Senti que a comunhão dela era muito prática e eu gostava de me comunicar com ela.

Uma noite, quando estava conversando com ela pelo chat, ela percebeu que eu estava um pouco rouca, então, perguntou o que havia acontecido. Eu disse: “Eu dei uma bela bronca nos meus subordinados hoje. Eles estavam distraídos e executavam o trabalho muito devagar. Eles cometem erros com frequência, o que levou o gerente a der uma bronca em mim.” Depois de me ouvir ela disse: “Perante os olhos de Deus, somos todos seres criados. Nós somos todos iguais, mas temos diferentes tarefas. Como líder, você deve cuidar deles, ao invés de criticá-los e ficar brava com eles. O que você fez foi arrogante, presunçoso e sem amor algum.” Ouvindo o que ela dizia, me senti estranha, então ela me enviou uma passagem da palavra: “Uma vez que tenha status, muitas vezes um homem achará difícil controlar seu estado de espírito e, assim, ele apreciará aproveitar as oportunidades para expressar sua insatisfação e descarregar suas emoções; frequentemente irromperá em fúria por nenhuma razão aparente, a fim de revelar sua habilidade e permitir que os outros saibam que seu status e identidade são diferentes daqueles das pessoas comuns. É claro que as pessoas corruptas sem qualquer status também perdem o controle com frequência. A raiva delas é muitas vezes causada por dano a seus interesses privados. A fim de proteger o próprio status e dignidade, a humanidade corrupta frequentemente descarregará suas emoções e revelará sua natureza arrogante. O homem irromperá em raiva e descarregará suas emoções a fim de defender e sustentar a existência do pecado, e essas ações são as maneiras com que o homem expressa sua insatisfação; elas transbordam de impurezas, de esquemas e intrigas, da corrupção e da maldade do homem e, mais que qualquer outra coisa, elas transbordam das ambições e dos desejos selvagens do homem.” Ela comungou: “Depois que fomos corrompidos por Satanás, nossa natureza tornou-se arrogante. Principalmente quando temos status, nos sentimos mais importantes que os outros. Portanto, nossa arrogância fica ainda maior. Se nos encontrarmos em uma situação desagradável sempre iremos descarregar nossas emoções através da ira. Na verdade, fazendo isso, só queremos que os outros nos valorizem pelo status que temos e sejam obedientes a nós. Quando nossos interesses são prejudicados, perdemos a cabeça para preservar nossa dignidade e para fazer os outros nos temerem.” Independentemente da situação, é por causa desse caráter arrogante que nós levantamos com ira para defender nosso status, benefícios e dignidade.

Ouvindo a comunhão da irmã, pensei: para me defender como líder, eu fiz com que meus subordinados e outras pessoas vissem minha autoridade usando a ira. Além disso, quando discutia com eles, se qualquer um fosse contrário aos meus planos ou desafiasse minha dignidade, eu discutia com ele em voz alta, com a intenção de mostrar aos outros subordinados que discutir comigo só os faria serem humilhados. Sempre pensei que, nessa posição de liderança, eu deveria mostrar minha dignidade e fazer com que meus subordinados me ouvissem. Conclui que minhas ações eram a revelação de um caráter corrupto, que serviam apenas para manter meu status e dignidade.

Então, a irmã leu para mim uma passagem das palavras: “Deus criou o homem, deu vida a ele e também lhe deu um pouco de Sua inteligência, Suas habilidades e o que Ele tem e é. Depois que Deus deu ao homem todas essas coisas, o homem foi capaz de fazer algumas coisas independentemente e pensar por conta própria. Se o que o homem inventa e faz é bom aos olhos de Deus, então Deus o aceita e não interfere. Se o que o homem faz é correto, então Deus simplesmente permitirá que seja assim para sempre. Então, o que indica a frase ‘e tudo de que o homem chamou todo ser vivente, isso foi o seu nome’? Indica que Deus não achou correto alterar nenhum dos nomes dados às diversas criaturas viventes. Qualquer que fosse o nome que Adão chamasse, Deus diria ‘sim’ e registraria o nome como está. Deus expressou alguma opinião sobre o assunto? Com certeza não. Então, o que vocês entendem disso? Deus deu inteligência ao homem, e o homem usou a inteligência dada por Deus para fazer as coisas. Se o que o homem faz é positivo aos olhos de Deus, então é afirmado, reconhecido e aceito por Deus sem qualquer avaliação ou crítica. […] Será que um ser humano, uma pessoa corrompida ou Satanás aceitariam que qualquer outro fizesse algo em seu nome, bem debaixo do seu nariz? Claro que não! Eles lutariam por essa posição com aquela outra pessoa ou outra força que é diferente deles? Claro que sim! Se fosse uma pessoa corrompida ou Satanás que estivesse com Adão, ele certamente teria repudiado o que Adão estava fazendo. Para provar que têm a capacidade de pensar de forma independente e ter suas percepções únicas, eles teriam absolutamente negado tudo o que Adão fez: ‘Você quer chamar assim? Bem, eu não vou chamar assim, vou chamar de outra coisa; você chamou de Tom, mas vou chamá-lo de Harry. Tenho que mostrar como eu sou esperto’. Que tipo de natureza é essa? Não é totalmente arrogante? E quanto a Deus? Ele tem esse caráter? Deus fez alguma objeção incomum ao que Adão estava fazendo? A resposta é inequivocamente não! No caráter que Deus revela, não há o menor grau de argumentação, arrogância ou hipocrisia. Isso está bastante claro aqui.

Ela comungou: “Deus é supremo, e Sua posição e identidade são honoráveis, mas pela revelação do caráter de Deus, podemos ver que Ele é humilde e adorável. . Não há arrogância no caráter de Deus. Se aquilo que o homem está de acordo com a vontade de Deus, Ele aceitará e não mudará ou negará isso. Comparando a revelação do caráter de Deus com as nossas atitudes em relação aos subordinados, podemos ver o caráter corrupto que expomos.Comparando o que Deus é com o seu comportamento para essas pessoas, a gente consegue ver a maldade a qual nos inclinamos. Nós somos muito arrogantes, presunçosos e convencidos, enquanto que o caráter de Deus que é tão lindo, que nos faz ficar envergonhados.” A comunhão dela me fez ter vergonha de mostrar meu rosto. Pensei: sou um ser humano corrupto! Contudo, quando obtenho status na empresa, eu faço o que quero, e uso o meu poder para oprimir os outros. Comparada com a humildade do Senhor, me senti muito envergonhada. Naquele momento, decidi me desculpar com meus subordinados e admitir que eu estava agindo de forma errada.

Por Aimu, Malásia

Continua…

Como melhorar relações interpessoais com os subordinados (II)

Contate-nos

Esperas ansiosamente pela aparição do Senhor? Como o Senhor aparecerá? Como devemos acolher a Sua aparição? Convidamos-lhe sinceramente a juntar-se a nós na nossa reunião online para conversar sobre esse tópico connosco.