Menu

Como educar os filhos: Finalmente "recuperei" meu querido filho

A coisa mais dolorosa para mim e meu marido era o fato de não sabermos como educar nosso filho. Nós apenas desejávamos que ele pudesse tomar o caminho certo e conduzir-se bem e não aprender a fazer coisas ruins. No entanto, para nós que vivemos neste mundo cheio de maldade, um desejo aparentemente simples não é fácil de ser realizado.

Enquanto meu filho crescia, ele gradualmente perdeu a inocência e a beleza da infância. Aos dez anos de idade, ele não sabia nem nos ajudar a fazer qualquer trabalho doméstico durante as férias escolares, apenas se ocupava sozinho, assistindo TV, jogando jogos de computador e andando por aí. Além disso, quando ele fazia algo de errado, nunca admitia suas falhas, colocava a culpa nos outros. E mesmo se admitisse que tinha sido ele, inventava desculpas para isso. Ele nos odiava especialmente quando perguntávamos sobre suas coisas; e quando alguém fazia isso, ele ficava revoltado e sua atitude era tão ruim, que era simplesmente incompreensível para nós. Ao se relacionar com sua irmã mais nova, ele se comportava ainda pior. Sempre que ele via alguma comida gostosa ou qualquer coisa que ele gostasse, ele iria se esforçar para obtê-la como um bandido. Independente de quão duramente nós tentássemos ensiná-lo a agradar sua irmã mais nova, ele não aceitava. Em sua lição de casa, ele era um caso perdido. Ele nunca fazia os trabalhos da escola, e sobre os deveres de casa, ele não fazia ou fazia superficialmente. Quando meu marido encontrou muitos erros em sua lição de casa e pediu-lhe para corrigi-los, ele argumentou com raiva dizendo que havia feito como o seu professor havia lhe ensinado. Ele muitas vezes não sabia qual era o dever de casa e perdeu seus livros didáticos diversas vezes. Por causa do seu histórico acadêmico pobre e sua rebeldia, seu professor ficou muito zangado e pediu-lhe para repetir o ano. Quando meu marido percebeu que nada funcionava, por mais que o ensinássemos, ele se voltou para os ensinamentos dos filósofos chineses, como “A piedade filial é a primeira de todas as virtudes”, “Nunca é tarde para consertar” e “Uma pessoa sem qualquer sinceridade não pode se estabelecer na sociedade”. Ele tentou usar esses princípios para ensiná-lo a ser um filho dedicado e que fosse obediente e sensível, que pudesse retribuir o amor e o cuidado dos pais, sendo um bom menino, confiável e aprovado pelos outros e que aprendesse a admitir suas falhas e corrigi-las. No entanto, a conversa do meu marido não teve nenhum efeito sobre ele. Ele continuou seguindo seu próprio caminho sem qualquer mudança. Por fim, meu marido ficou desapontado com ele, e sacudia a cabeça e suspirava quando ele era mensionado. Qualquer um dos membros da minha família poderia enumerar muitos de seus erros ao falar dele.

Vendo que meu filho não trilhava o caminho correto e que não podia viver a humanidade normal, senti-me extremamente angustiada: como é que o meu inocente e adorável filho ficou assim? Não podia fazer nada a não ser entregá-lo a Deus. Em minha pesquisa, li uma passagem de palavras no livro, “Toda a discussão em torno da herança cultural antiga, da valorização do conhecimento da cultura ancestral, dos ensinamentos do taoísmo e do confucionismo, os clássicos do confucionismo e os ritos feudais levaram o homem ao inferno” (de “Obra e entrada (7)”). “Pois o objetivo da obra de gerenciamento de Deus é recuperar a humanidade que está sob o império de Satanás, não abandonar a humanidade que tem sido corrompida por Satanás e que se opõe a Deus” (de “O homem só pode ser salvo em meio ao gerenciamento de Deus”). Através da revelação destas palavras, vi claramente que a cultura tradicional que os chineses têm adorado e que foi repassada, e seguiu por milhares de anos, assim como os famosos ditos com os quais meu marido ensinou meu filho “piedade filial é a primeira de todas as virtudes,” “nunca é tarde para consertar,” “uma pessoa sem qualquer sinceridade não pode se estabelecer na sociedade,” etc., são apenas alguns conhecimentos e algumas doutrinas que o Satanás explora para enganar as pessoas a confiar nele e se afastar de Deus, negando Deus. Essas coisas não são comparáveis com a verdade expressa pelo Deus encarnado dos últimos dias. Embora essas doutrinas e esses conhecimentos sejam quebrados para se tornarem jóias da cultura chinesa com uma longa história, e sejam valorizadas por muitas pessoas e até ensinadas na escola, elas não podem salvar nem mudar o homem. Se cremos e dependemos dessas doutrinas e teorias do Satanás, agimos e educamos nossos filhos de acordo com elas, só podemos fazer o mal — distanciando-nos de Deus, rejeitando a verdade, adorando e seguindo o Satanás. Finalmente, estaremos condenados por Deus e destruídos no inferno, porque nos desviamos de Deus e fizemos todo tipo de males. Com a iluminação de Deus, percebi que meu filho também era uma vítima e estava profundamente afligido por Satanás, e que ninguém além de Deus poderia salvá-lo.

Então, eu continuei a ler alguns artigos sobre testemunhos da experiência de irmãos e irmãs, nos quais eu vi que muitos pais tinham sido perturbados pela forma como deveriam educar seus filhos, mas finalmente todos encontraram a solução nas palavras de Deus. Eu também queria procurar a verdade nas palavras de Deus para resolver o problema de educar meu filho. Durante esse tempo, meu filho muitas vezes acordava estremecido por pesadelos à noite. Então eu lhe contei a história de Saul e Davi. Saul queria matar Davi, mas Davi tinha um lugar para Deus em seu coração e adorava ao Senhor. Então, ele teve a proteção de Deus e escapou de ser morto em qualquer emergência; enquanto Saul era perturbado pelos maus espíritos e vivia em agonia. Eu lhe disse que aqueles que escutam as palavras de Deus e sabem confiar em Deus podem receber Seu cuidado e Sua proteção, e aqueles que resistem ao Deus e não têm lugar para Ele em seus corações, serão perturbados e afligidos pelo Satanás. Após ouvir minhas palavras, meu filho aprendeu a orar a Deus e confiar Nele. Depois disso, ele nunca mais foi perturbado por pesadelos. Ele estava muito feliz com os resultados e tornou-se mais disposto a ouvir as histórias da Bíblia sobre a obra de Deus. No que diz respeito ao seu estado, em que se recusava a admitir seus erros e passava a culpa para os outros e que também vivia descontente com todos, eu li para ele a história da expulsão de Adão e Eva do jardim do Éden após comerem o fruto proibido. Eu perguntei a ele: “Deus é todo-poderoso e procura todas as coisas. Ele sabia de tudo quando Adão e Eva desobedeceram Suas palavras, traíram o Senhor quando seguiram as palavras do Satanás e comeram o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Mas por que Ele ainda perguntou a Eva, ‘O que é isso que você fez?’” Ele balançou a cabeça e disse que não sabia. Então, continuei: “Na verdade, o principal propósito de Deus ao dizer isso era dar a Adão e Eva a oportunidade de se arrependerem. Deus esperava que eles pudessem confessar seus pecados e pedir perdão com corações sinceros e arrependidos. No entanto, eles não souberam aproveitar a oportunidade que Deus lhes dera. Eles não apenas se esconderam de Deus, mas tentaram escapar da culpa. Por causa da desobediência às Suas palavras e por não confessarem seus pecados, foram expulsos do jardim do Éden, perdendo a vida feliz sob a orientação e a bênção de Deus no jardim do Éden…” Meu filho ouviu e pensou. Em seguida, curvou sua cabeça e disse: “Mãe, eu entendo. Eu sei como lidar com a minha culpa.” Mais tarde, eu o acompanhei pela história do retorno do filho pródigo, em que ele sabia que se uma pessoa pudesse se arrepender depois de cometer um erro e fosse uma pessoa honesta diante de Deus, o coração de Deus ficaria satisfeito e confortado. Através de tal companheirismo e orientação, meu filho aprendeu gradualmente as histórias da Bíblia e as palavras de Deus, e que deveria ser uma pessoa honesta e que agrada a Deus. Quando ele errou de novo e eu lhe perguntei o motivo, ele não mais resistiu ou ficou desgostoso com isso; e se soubesse que estava errado, podia admitir seus erros e estava disposto a se corrigir. Vendo a transformação do meu filho, fiquei muito satisfeita e continuei agradecendo e louvando a Deus. Ao testemunhar que as palavras de Deus podem realmente levar, guiar e transformar o homem, eu tive mais confiança para cooperar com Deus para trazer meu filho diante do Senhor.

Mais adiante, quando meu filho estava sorrateiramente jogando e ouvindo os meus passos chegando lá em cima, ele escondeu seus jogos com pressa e até fingiu fazer outra coisa. Percebendo isso, contei a ele a história do padre Eli e seus dois filhos e a história de Samuel. Comuniquei-me com ele: “Deus observa o fundo do coração das pessoas, por isso devemos fazer as coisas diante de Deus e não agir de uma forma em público e de outra em particular, pois Deus nos pede para sermos uma pessoa honesta”. Quando ele via coisas boas e brigava com sua irmã mais nova para levá-las para si mesmo, ou quando ele tentava fazer o seu trabalho de casa com pressa, eu conversava com ele sobre como viver a humanidade normal ao citar tais palavras: “No caráter das pessoas normais não há desonestidade ou engano, elas têm um relacionamento normal entre si, não ficam sozinhas e sua vida não é medíocre, nem decadente. Assim, também, Deus é exaltado entre todos, Suas palavras permeiam os homens, as pessoas vivem em paz umas com as outras; e, sob o cuidado e a proteção de Deus, a terra é repleta de harmonia, sem a interferência de Satanás, e a glória de Deus possui a maior importância entre os homens” (de “Capítulo 16”). Através dessas palavras ele percebeu: Aqueles que agem de uma forma na frente dos outros, mas de outra forma pelas costas, encobrindo a verdade, são pessoas ardilosas. Aqueles que são mercenários, egoístas e baixos são desprezíveis, e não têm consciência, razão ou humanidade normal. A exigência de Deus para nós é de sermos uma pessoa honesta, possuidora de consciência, amor e consideração pelos outros, porque somente vivendo dessa maneira seremos uma pessoa com a humanidade normal. Lentamente, meu filho se tornou mais sensível e obediente do que antes. Às vezes, quando ele não conseguia se controlar e cometia erros novamente, ele me dizia, “Mãe, não quero cometer erros, mas não consigo me controlar. O que devo fazer?” Então, eu o ensinava a falar do seu coração com Deus em oração e confiar em Nele para lhe dar força para que pudesse se abster de fazer as coisas que Deus não gosta. Para resolver o problema de sua incapacidade de fazer a lição de casa com cuidado, se atrapalhando de tanto assistir TV, eu conversei com ele e lhe pedi para viver honestamente diante de Deus e lhe ensinei a orar a Deus. Após orar a Deus várias vezes dessa forma, ele me disse voluntariamente, “Mãe, eu não vou assistir TV de segunda a sexta-feira de agora em diante. Por favor, lembre-se de me lembrar. Eu devo manter minha promessa.” Depois disso, ele não assistiu mais TV de segunda a sexta-feira. Durante suas férias, se ele quisesse assistir TV, ele pedia primeiro a nossa permissão, em seguida, definia um período de tempo adequado e pedia-nos para lembrá-lo. Quando o tempo acabava, ele ia fazer a lição de casa.

Sob a orientação das palavras de Deus, meu filho tinha mudado muito. Ele aprendeu a pensar: O que Deus quer que ele faça? O que Deus pensa de seu comportamento? Quais são as coisas apropriadas que ele deve fazer para satisfazer a Deus? Quando ele percebeu que a exigência de Deus sobre nós era nos fazer viver a humanidade normal e que essa é a salvação para nós, ele sentiu que deveria ser uma pessoa como Deus exige. Pouco a pouco, meu filho percebeu que ser um bom menino não era difícil e até mesmo fazer a lição de casa era muito mais fácil. A coisa mais inesperada foi que ele se transformou de um mau aluno, o que mais incomodava seus professores, em um bom aluno ganhador de um prêmio. Meu marido ficou muito feliz com esta notícia e disse, “Nunca imaginei que meu filho poderia ganhar um prêmio. Isso é maravilhoso!” Além dessas mudanças, meu filho também se ofereceu para nos ajudar nas tarefas domésticas e não brigava mais com a irmã por causa de comida, como costumava fazer. Ademais, quando ele ficava amuado por nos entender mal, depois de falarmos porque fizemos aquilo e que ele havia sido enganado por Satanás quando ficou amuado, ele se desculpava e pedia perdão, não mais nos incomodando como costumava fazer.

Vendo cada pequena mudança em meu filho, me senti alegre. Eu realmente agradeci a Deus por Sua bondade e Suas bênçãos. Mais tarde, li outras palavras dizendo: “Talvez você seja um presidente, um cientista, um pastor ou um presbítero, não importa o quanto a sua função seja elevada, se confiar no seu conhecimento e na sua habilidade em seus empreendimentos, você sempre será um fracasso e sempre estará destituído das bênçãos de Deus” (de “Deus preside o destino de toda a humanidade”). Pensei: estas palavras são de fato a verdade, e somente confiando em Deus podemos receber Suas bênçãos e obter sucesso. Eu me lembrei do passado: Meu marido tentou meticulosamente e usou vários métodos humanos, a cultura tradicional e as filosofias do Satanás para ensinar nosso filho, mas ele falhou porque baseou-se em sua própria capacidade. De acordo com as palavras do livro “A orientação futura será esta: aqueles que ganham as declarações da boca de Deus terão uma senda a trilhar na terra e, sejam homens de negócios ou cientistas, educadores ou donos de indústrias, aqueles que estão sem as palavras de Deus terão dificuldade de dar um simples passo e serão obrigados a buscar o caminho verdadeiro. É isso que significa: ‘Com a verdade, você caminhará o mundo inteiro; sem a verdade, não chegará a lugar nenhum’” (de “O Reino Milenar chegou”). É verdade que qualquer coisa dita será cumprida. Independentemente do negócio ou indústria em que estamos envolvidos, não podemos fazer nada sem orientação, fornecidas nessas palavras, e educar nossos filhos não é uma exceção. Se praticarmos estas palavras, o caminho estará sob nossos pés e seremos abençoados por Deus. Essa palavra tem poder e autoridade, é através de Suas palavras que Ele vence e controla as pessoas de todo o universo, e nosso sucesso ou fracasso é decidido quando agimos de acordo com Suas palavras. A autoridade e o poder das palavras de Deus são realmente inestimáveis!

Agradeço a Deus por ter me concedido a graça para “recuperar” meu adorável filho. Que toda a glória seja dada a Deus!

Por Zhi’en

Tradução: Larissa Veras Barrozo

Leia mais artigo sobre pais e filhos:

Como educar seus filhos: A transformação de uma “estúpida mãe passarinho”

Educar filhos: Filho, mamãe te espera em casa para jantar, se você for bem no exame!

Contate-nos

Esperas ansiosamente pela aparição do Senhor? Como o Senhor aparecerá? Como devemos acolher a Sua aparição? Convidamos-lhe sinceramente a juntar-se a nós na nossa reunião online para conversar sobre esse tópico connosco.